Mesmo com instabilidade, Todt confirma planos da F-1 de ir à Rússia

Vivendo instabilidade política desde o começo deste ano, país já teve corrida do Mundial de Superbike cancelada

O francês Jean Todt, presidente da FIA, confirmou que sua intenção é fazer o GP da Rússsia acontecer neste ano. Mesmo com a tensão política envolvendo o país, a Ucrânia e a Crimeia, região autônoma que declarou independência da Ucrânia neste ano, o ex-chefe da equipe Ferrari se mantém focado em fazer a corrida.

No início do ano, o Mundial de Superbike, que utilizava o circuito de Moscou desde 2012, cancelou sua corrida neste ano. Todt assegurou que não seguirá o exemplo para a corrida no parque olímpico de Sochi.

"No momento, não há nenhuma mudança para o calendário. A Rússia continua", confirmou Todt em entrevista à Press Association.

"Estou confortável com o que a FIM (Federação Internacional de Motociclismo) decidiu, mas no momento não temos qualquer razão para reconsiderar qualquer corrida que temos no calendário."

Pressionado sobre a possibilidade de a posição ser revista em agosto ou até setembro, ele prosseguiu: "Vamos falar com as pessoas que estão envolvidas com tudo isso, mas, como eu disse, no momento não temos nada que deva alterar o funcionamento do calendário."
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias