Mesmo com novo chefe, Maldonado não espera revolução na Williams

Venezuelano acredita que vai demorar para a chegada de Pat Symonds mudar atual situação da equipe inglesa

A Williams chega a Spa-Francorchamps com dois motivos para estar otimista: o primeiro ponto do ano, marcado no GP da Hungria, e a chegada do novo diretor técnico Pat Symonds, que já começou a trabalhar efetivamente no time. O engenheiro traz experiência de títulos na Benetton e na Renault.

No entanto, Pastor Maldonado salientou ao TotalRace que toda mudança é lenta. “Até agora, não colocamos nada inovador no carro. Trabalhamos para adaptar o que temos a este circuito. Pat [Symonds] acabou de chegar, então não dá para mudar tudo de uma hora para a outra. Precisamos de mais tempo. Continuamos trabalhando da mesma maneira que no resto do ano, tratando de melhorar não apenas o carro, mas também os pit stops, tudo.”

Assim, o venezuelano acredita que a Williams segue na briga para entrar nos pontos, ainda que seja uma tarefa difícil.

“Esperamos estar novamente nos pontos neste ano, assim que tenha sido muito difícil até aqui devido ao nosso rendimento. Mas estamos trabalhando duro e tomara que possamos estar, finalmente, de maneira consistente entre os dez primeiros.”

Mesmo sem grandes expectativas com o carro, Maldonado comemora a chegada a seu circuito favorito – e explicou o por que da grande maioria dos colegas gostar tanto de Spa.

“Primeiro porque tem todas as características que agradam aos pilotos. Gosto quando tem curvas lentas, médias e de alta, subidas e descidas, curvas pequenas e grandes. É um circuito com uma parte muito técnica, e outra muito rápida e de astúcia e experiência. É um banco de testes não apenas para os pilotos, mas também para as equipes. Toda vez que você entra em uma curva, é uma experiência diferente.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Bélgica
Pilotos Pastor Maldonado
Tipo de artigo Últimas notícias