Mesmo discordando da pena, Horner evita criticar decisão do tribunal

Chefe da Red Bull lembra que é melhor testar com pilotos experientes do que com os jovens, em fala sobre sanção à Mercedes

Chefe da equipe que, ao lado da Ferrari, fez a denúncia contra a Mercedes, Christian Horner, da Red Bull, preferiu não criticar a pena imposta ao time alemão pelo Tribunal Internacional, nesta sexta-feira em Paris. A Mercedes foi proibida de participar dos testes com jovens pilotos em julho, sendo que, na quinta-feira, Horner havia dito que este tipo de proibição não seria exatamente uma sanção.

“Não sei o quanto pode ser realmente uma sanção ser banido dos testes com jovens pilotos, já que eles já testaram com os pilotos de primeiro escalão”, disse Horner na quinta, após acompanhar o julgamento em Paris.

Após a punição ter sido exatamente essa, o chefe da Red Bull evitou criticar a decisão do tribunal. “É sempre preferencial testar com pilotos de corrida, em vez de pilotos de teste, mas não era uma decisão nossa", disse Horner. "Era tarefa do tribunal e eles tomaram sua decisão”, desconversou.

"O Tribunal teve todos os fatos que lhes foram apresentados de uma forma justa e fez sua decisão. Nós levantamos o protesto, pois queríamos clareza sobre se há ou não permissão para testar durante a temporada com um carro atual. Agora temos clareza, já que foi decidido que a Mercedes de fato violou os regulamentos esportivos", completou Horner.

Em maio, a pedido da Pirelli, a Mercedes testou os pneus que estão sendo preparados para 2014, mas usou o carro atual, o que não é permitido pela FIA. 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias