Mesmo fora da F1, Gasly vê relação com Red Bull melhorando

Campeão da GP2 de 2016, francês se diz chateado sem vaga na F1, mas não perde esperanças para 2018

Mesmo com uma boa chance de substituir Daniil Kvyat na Toro Rosso em 2017, Pierre Gasly vai acabar ficando fora da Fórmula 1 no próximo ano. Apesar de chateado com a decisão de seu mentor, Helmut Marko, ele respeita e se vê em boa posição para o futuro.

"Quando você coloca muita energia, tempo e trabalho, está desapontado por perder uma oportunidade", disse Gasly em entrevista à rádio francesa RMC.

"Eu acho que eles (Red Bull) viram que eu estava fazendo o meu melhor. É disso que eles gostam.”

"Helmut gostou da maneira que eu reagi. Ele me incentiva e me apoia bastante. Nosso relacionamento tem sido melhor nos últimos dois ou três meses, mesmo que sua decisão não tenha sido boa para mim.”

"Ele me apoia, me incentiva e me motiva a continuar dando tudo. As coisas podem mudar muito rapidamente na F1."

Lugar certo, hora errada

Gasly, que competirá na Super Fórmula do Japão no próximo ano, diz que foi tranquilizado pela Red Bull. O francês continua na disputa por um assento na F1 em 2018.

"Quando eles tomaram a decisão, eu estava em boa posição para o título da GP2, então fiquei muito decepcionado e triste com certeza. É muito difícil chegar a um acordo com essas notícias, mas é parte do jogo.”

"Me foi dito que eu estava no lugar certo na hora errada, que eles tinham que manter Kvyat por mais um ano, que eu era muito jovem, que eles estavam felizes com o meu trabalho e que eu deveria continuar dando o meu melhor.”

"Eles me disseram que as coisas devem mudar dentro de um ano e que eu deveria continuar dando o meu melhor. As coisas podem mudar muito rapidamente na F1."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1 , FIA F2
Pilotos Pierre Gasly
Tipo de artigo Últimas notícias