Mesmo líder, Hamilton não se diz satisfeito: "Aderência é terrível"

Inglês foca em melhorar acerto de sua Mercedes e fugir da má fase atual em classificações

Lewis Hamilton pode ter liderado ambos os treinos livres no primeiro dia de atividades de pista em Hungaroring, circuito em que já venceu quatro vezes, mas o inglês está longe de se dizer contente com o equilíbrio de sua Mercedes.

[publicidade]“Eu não tenho um plano, vou lidar com as coisas quando elas aparecerem”, afirmou ao TotalRace. “Tenho algum trabalho adiante pois não estou totalmente confortável com o carro neste final de semana. O nível de aderência estava muito baixo, terrível, pelo menos para mim, então preciso melhorar o acerto. Talvez seja o mesmo do ano passado na sexta-feira.”

Ao contrário do companheiro Nico Rosberg, que salientou a diferença entre os compostos, Hamilton achou que ambos têm comportamento semelhante.

“Os pneus parecem ser bem similares. O pneu médio parece que tem menos aderência na dianteira do que o macio, mas ambos estavam muito ruins em termos de aderência.”

Uma pole position na Hungria seria muito importante para Hamilton, que teve problemas ou cometeu erros nos últimos quatro treinos classificatórios. “Espero um dia difícil amanhã, mas que seja bem melhor do que os meus últimos sábados”, salientou.

FREIOS

Nesta sexta-feira, a Brembo, fabricante dos freios que Hamilton utilizava quando teve uma falha e bateu forte no sábado no GP da Alemanha, divulgou um comunicado sobre o ocorrido. Após a quebra, a Mercedes decidiu trocar o fornecedor dos freios utilizados no carro do inglês, alegando questões de segurança.

Contudo, a marca italiana diz ainda não saber a causa do problema. “Atualmente não há uma evidência clara de uma causa única para a falha e nossa contínua e rigorosa análise vai levar em consideração vários fatores que podem ter contribuído para o incidente.” 
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias