Mesmo sem definição da Renault, Lotus garante futuro na F1

Equipe afirma que permanência na categoria é certa, independentemente da decisão da Renault sobre adquirir ou não time de Enstone

A Lotus vive um momento de incertezas quanto ao nome que terá a partir da próxima temporada, já que a Renault, ainda não tomou uma decisão sobre adquirir ou não a equipe sediada em Enstone – espera-se que a cúpula da fabricante francesa anuncie algo nos próximos dias.

É certo, porém, que o time, mesmo passando por dificuldades financeiras e com a justiça nos últimos tempos, permanecerá na categoria ainda que a Renault desista de retornar à F1. Quem garante é o CEO da Lotus, Matthew Carter.

"Enfrentamos dificuldades financeiras, isso tem sido amplamente divulgado pela mídia. Mas estamos trabalhando duro nos bastidores para resolver a situação”, disse. Nenhum (desses problemas) é terminal, ainda estamos correndo e vamos continuar por aqui”, disse o dirigente.

"As negociações (com a Renault) estão em andamento, mas temos mais de uma opção para garantir que a equipe continuará na ativa. Temos um orçamento para o restante desta temporada e é com ele que vamos trabalhar” afirmou.

Carter, no entanto, não deu mais detalhes sobre as conversas com a fabricante francesa, alegando estar focado em dirigir o time de Enstone: “É difícil dizer algo, meu trabalho é fazer a equipe progredir e cuidar dela e é isso que tenho feito. Os donos e acionistas estão conversando entre si e com prováveis compradores.”

"As negociações com uma fabricante de automóveis estão em curso há vários meses. Meu foco, porém, é dirigir o time com as ferramentas que temos em mãos neste momento”, concluiu Carter.

Grosjean elogia carro em voltas rápidas

Sétimo mais rápido no segundo treino livre, Romain Grosjean – que só andou à tarde, já que Jolyon Palmer ocupou o lugar do francês na sessão da manhã, marcando o 15º tempo – elogiou o carro em ritmo de classificação. O gaulês, porém, ressaltou que o ritmo de corrida precisa melhorar.

"O carro funcionou bem nesta tarde, especialmente em voltas rápidas. Estamos felizes com o que temos para a classificação, provavelmente teremos uma briga boa com Force India, Williams e Ferrari. Temos que buscar avanços no ritmo de corrida, vamos analisar os dados e ver em que áreas podemos melhorar”, disse Grosjean.

Pastor Maldonado, décimo pela manhã e oitavo à tarde, destacou o trabalho com as novas diretrizes de pressão dos pneus, indicadas pela Pirelli por questões de segurança. O venezuelano acredita em uma disputa muito acirrada no Q3 entre os carros que virão logo atrás das Mercedes.

"Tivemos um bom começo hoje, conseguimos encontrar um equilíbrio decente para o carro. Mas temos mais para extrair na classificação, que será muito disputada, tirando os carros da Mercedes. Também temos muito trabalho a fazer com os dados das novas pressões nos pneus, especialmente para a corrida”, concluiu.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Itália
Pista Monza
Equipes Lotus F1
Tipo de artigo Últimas notícias