Miami decide na próxima semana se vai querer GP de F1

Contando com apoio do prefeito, projeto será votado na próxima quinta-feira na cidade norte-americana

A prefeitura da cidade de Miami vai votar na próxima semana sobre a possibilidade de tentar um acordo de vários anos com a Fórmula 1, que começaria com uma corrida de rua em 2019. A reunião da Comissão da Cidade de Miami na quinta-feira, 10 de maio, incluirá uma discussão sobre a tentativa de trazer a F1 para a Flórida de 2019 a 2028.

Se a votação for bem sucedida, o promotor do evento será encarregado de formalizar um contrato entre os chefes de Miami e da F1. O esforço de fazer uma corrida de F1 é apoiado pelo prefeito de Miami, Francis Suarez, e por três comissários da cidade.

A Liberty Media chegou no fim de 2016 à F1 querendo expandir sua presença nos Estados Unidos, com uma corrida de rua em Miami no topo da lista de desejos.

"Agradecemos o interesse da comunidade em sediar uma corrida de Fórmula 1, e esperamos trabalhar com as autoridades locais e as partes interessadas para dar vida a essa visão", disse o diretor da F1, Sean Bratches.

"Com mais de meio bilhão de fãs em todo o mundo, a Fórmula 1 é o maior espetáculo de corrida do planeta. O status de Miami como uma das cidades mais emblemáticas e glamorosas do mundo, combinado à robusta infraestrutura turística, faz dela o destino perfeito para a Fórmula 1 e seus fãs ".

O braço de licenciamento da F1 apresentou um pedido em novembro do ano passado para a Organização Mundial de Propriedade Intelectual (WIPO) para registrar o "Grande Prêmio de Miami da Fórmula 1" e o "Grande Prêmio de Fórmula 1 de Miami".

Essa aplicação, que ainda está listada como "pendente" no banco de dados da WIPO, foi seguida por relatórios locais alegando que representantes da F1 se encontraram com a cidade para discutir possíveis projetos.

O nome do Grande Prêmio de Miami foi aplicado a várias corridas da IndyCar e outras categorias, começando dos anos 80 e terminando apenas há alguns anos.

O centro de Miami foi usado recentemente para sediar uma corrida da Fórmula E, durante a temporada inaugural do campeonato dos carros elétricos, em março de 2015. Não foi um evento de sucesso, em grande parte graças à localização (que supostamente é um alvo da potencial corrida da F1) apresentar um desafio logístico significativo.

A F-E tinha o apoio das autoridades da cidade, mas a realidade de sediar a corrida complicou o relacionamento entre as partes, e Miami não apareceu mais no calendário do mundial desde então, embora isso seja em parte porque a F-E negocia uma corrida em Nova York.

Foi sugerido que a F1 abrisse espaço no seu calendário de 21 corridas tirando o Azerbaijão.

No entanto, o promotor de Baku negou ter discutido a venda da infraestrutura de pit e paddock para os organizadores de Miami.

O GP do Azerbaijão ainda tem dois anos restantes em seu contrato inicial, que também pode ser estendido por mais cinco anos além do seu final atual, em 2020.

A view of Miami
Vista de Miami

Foto: FIA Formula E

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias