"Momento é de calma", diz Barrichello, sobre mercado do grid

Falando com exclusividade ao TotalRace, brasileiro não se diz abalado com movimentação causada por confirmação de Grosjean na Renault

Barrichello larga na pole nas 500 Milhas de kart

Vestido com o macacão da Williams e satisfeito por ter vencido a corrida que definiu o grid de largada das 500 Milhas de Kart, Rubens Barrichello disse não se abalar com a confirmação de Romain Grosjean na Lotus Renault, o que aumenta ainda mais a cobiça por sua vaga na Williams.

Para o veterano de 39 anos, que larga da pole position na tradicional corrida de fim de ano, a notícia do francês no lugar de Bruno Senna não impressionou mais que a contratação de Kimi Raikkonen pelo time gaulês.

"Para mim, essa notícia do Grosjean não foi um choque. A que chocou, mesmo, foi a do Raikkonen", conta o brasileiro, em conversa exclusiva com o TotalRace em Penha (SC), onde acontece o evento de kart. Segundo ele, é preciso ter tranquilidade para lidar com as notícias, ainda mais que a comunicação com a Williams é constante.

"O momento é de calma. Nesse período de duas semanas, você viu uma subida e uma descida. Quando o Raikkonen foi para a Renault, falaram: 'Opa! É uma chance para o Rubinho, pois é um a menos na briga'. Quando o [Valtteri] Bottas assinou como reserva, disseram: 'Opa, tá afunilando!'. Agora o cara [Grosjean] assina lá, dizem que tem mais gente em cima da minha vaga", afirma.

"Tem de ter calma. Quanto mais eu falar, mais prejudicial será. Tenho conversado com eles [da Williams]. Estou sem internet no quarto e desço até a recepção todos os dias para ver se tenho alguma novidade. Mas não digo isso em um tom de ansiedade, mas de tranquilidade, esperançoso de estar dentro do carro no ano que vem", completa.
 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Rubens Barrichello
Tipo de artigo Últimas notícias