Montezemolo critica volta de Coughlan, mas se diz feliz por Raikkonen

Dirigente afirma que boatos sobre retorno de seu ex-piloto, demitido em 2009 pela Ferrari, o fazem "sentir-se bem"

Montezemolo e Raikkonen nos tempos de Ferrari

O presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, apareceu na imprensa nesta semana para apagar alguns incêndios – e criar outros. O italiano reiterou a ameaça da Ferrari de deixar a F-1, no momento em que a categoria negocia um novo Pacto da Concórdia, e mais uma vez garantiu a presença de Felipe Massa na equipe em 2012.

Montezemolo, no entanto, afirmou ao jornal italiano La Stampa que não está nada contente com o retorno de Mike Coughlan à F-1. O ex-McLaren cumpriu suspensão por ter recebido informações da Ferrari no caso de espionagem de 2007 e será diretor técnico da Williams a partir do ano que vem.

“A volta de Coughlan é um escândalo”, classificou o dirigente.  “A F-1 nunca perde uma chance de se fazer de tonta.”

O italiano comentou ainda sobre a alardeada volta de Kimi Raikkonen à categoria. O piloto finlandês correu suas últimas três temporadas na F-1 pela Ferrari até ser demitido no final de 2009, para dar lugar a Fernando Alonso.

“Essa possível volta me faz sentir-me bem. Kimi é um cara muito legal, ainda que nunca tenha conseguido me comunicar com ele de verdade.”

Montezemolo comparou o finlandês de 32 anos a outro ex-piloto da Ferrari, Jean Alesi, de 47 e aposentado da F-1 desde 2001.

“Há alguns pilotos como ele que ainda têm a chama da velocidade dentro deles, como Jean Alesi que vai disputar as 500 Milhas de Indianápolis ano que vem.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias