Monza é casa de Maldonado e palco de títulos de Gutierrez

Mesmo com boas experiências no circuito italiano, dupla não prevê grandes resultados neste final de semana

Sem nenhum italiano no grid, quem se sente em casa em Monza é Pastor Maldonado, que morou perto do circuito no início da carreira. “Morei aqui alguns anos quando comecei no automobilismo. Tenho vários amigos, é quase uma família. Sinto-me em casa, é uma corrida especial para mim.”

Mas ele não é o único. Esteban Gutierrez pode não ter morado perto do circuito, mas sabe bem o que é comemorar em Monza. “Ganhei dois campeonatos aqui e fiz grandes corridas. É um lugar especial pelo ambiente, os fãs são muito especiais, então é um lugar para o qual você sempre quer voltar. Na F-BMW, estava lutando pelo campeonato com meu companheiro, Marco Wittmann, e foi uma corrida na chuva, e na GP3 lembro de minha volta inteira da pole position. Ela vez a diferença para eu ser campeão. São momentos especiais que levo comigo.”

Mas o mexicano reconhece que será difícil repetir estes momentos tão marcantes. E nem mesmo o pódio de Sergio Perez com a Sauber ano passado anima o piloto. “Faz sentido pensar que podemos andar bem aqui, ainda que seja real que temos um carro diferente neste ano. Trataremos de potencializar o carro que temos. Não ter resistência do ar é muito importante para ganhar velocidade nas retas, que são muito longas. Mas essa falta de carga aerodinâmica dificulta o equilíbrio de freada, então são duas coisas que temos de equalizar.”

Já Maldonado mira os pontos, que só vieram em uma etapa até aqui. “Esperamos estar entre os 10 primeiros, o que não vai ser fácil, mas tentaremos. É um circuito de que gosto muito, de muita emoção.”

O venezuelano explica a complexidade de um circuito que, com apenas oito curvas, parece o mais simples do campeonato. “Aqui temos menos carga aerodinâmica, então dá para ganhar mais nas retas do que priorizando as curvas. É algo normal aqui sacrificar as curvas. Também é necessário ter uma boa tração nas saídas de duas curvas muito lentas – as duas primeiras variantes. Então é necessário ir da primeira para a sétima marcha sem patinar muito. Mesmo não tendo muitas curvas, é uma pista muito técnica, principalmente a variante Ascari.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Itália
Pilotos Pastor Maldonado , Esteban Gutierrez
Tipo de artigo Últimas notícias