Morre Sergio Marchionne, ex-presidente da Ferrari

compartilhar
comentários
Morre Sergio Marchionne, ex-presidente da Ferrari
Adam Cooper
Por: Adam Cooper
25 de jul de 2018 10:28

Italiano tinha 66 anos e não resistiu às complicações sofridas após uma cirurgia no ombro

Sergio Marchionne, CEO FIAT
A Ferrari logo on a car in the F1 Racing display
Sergio Marchionne, CEO FIAT
Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H leads Sebastian Vettel, Ferrari SF71H
Piero Lardi Ferrari, Ferrari Vice President and Sergio Marchionne, CEO FIAT
Sergio Marchionne, CEO FIAT and Louis Camilleri, Chairman of Philip Morris
Sebastian Vettel, Ferrari SF71H, leads Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H

Sergio Marchionne, importante nome do crescimento recente da Ferrari na F1 e antigo líder do grupo Fiat Chrysler, morreu nesta quarta-feira (25), em um hospital na cidade de Zurique, na Suíça. Ele tinha 66 anos.

Marchionne foi internado no hospital para uma cirurgia no ombro, mas sua condição pós-operatória se deteriorou rapidamente, com reportagens indicando que uma embolia o colocou em coma profundo.

Na última semana, o italiano foi afastado da presidência da Ferrari de imediato, com o cargo passando às mãos de John Elkann, membro da família Agnelli – que também são acionistas da empresa italiana. Já a posição de diretor executivo foi para Louis C Camilleri.

O editor recomenda:

“Infelizmente, o que temíamos aconteceu. Sergio Marchionne, homem e amigo, se foi”, disse Elkann.

“Acredito que a melhor forma de honrar sua memória é dar continuidade ao legado que ele nos deixou, continuando a desenvolver os valores humanos de responsabilidade e abertura, nos quais ele era campeão.”

“Minha família e eu sempre estaremos gratos ao que ele fez. Nossos pensamentos estão com Manuela e seus filhos, Alessio e Tyler.”

O carismático Marchionne se tornou presidente da Ferrari em setembro de 2014, substituindo Luca di Montezemolo.

Apesar de seus outros compromissos, ele permaneceu próximo do programa da F1, e esteve por trás da decisão de substituir Marco Mattiacci por Maurizio Arrivabene no posto de chefe de equipe após somente dois meses.

Ele também se mostrou interessado nas escolhas de pilotos e era um apoiador de Charles Leclerc. Ele também costurou o acordo entre Sauber e Alfa Romeo.

Além disso, Marchionne desempenhou um importante papel nos bastidores ao ter uma aliança informal com a Mercedes, além de deixar claro que a Ferrari não gostaria de ver a simplificação do regulamento de motores.

Ele era tido como uma figura bastante participativa nas reuniões do Grupo Estratégico da F1 e de outros encontros entre os líderes da categoria

Fora do ramo das competições, Marchionne era conhecido por intermediar a aliança entre Fiat e Chrysler e transformar as duas empresas.

Nascido na Itália, em 1952, ele e sua família se mudaram para o Canadá quando tinha 13 anos, completando sua educação por lá.

Marchionne inicialmente se formou em filosofia antes de acrescentar ao seu currículo as formações de contador e um MBA em direito.

Ele também trabalhou em várias companhias do ramo da advocacia e de gestão antes de se juntar à Fiat como diretor independente em 2003. No ano seguinte, ele se tornou diretor executivo.

Próxima Fórmula 1 matéria
Webber sobre Alonso: Era criativo quando você ia ultrapassá-lo

Previous article

Webber sobre Alonso: Era criativo quando você ia ultrapassá-lo

Next article

Red Bull mostra frustração com decisão de motor de Ricciardo

Red Bull mostra frustração com decisão de motor de Ricciardo
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Adam Cooper
Tipo de matéria Últimas notícias