"Morte de Bianchi chacoalhou a F1", diz Nasr

compartilhar
comentários
Erick Gabriel
Por: Erick Gabriel
11 de ago de 2015 10:56

Ao Motorsport.com, Nasr e Massa falaram como a morte do francês afetou a relação entre pilotos e se eles seriam capazes de dizer não a uma possível situação de insegurança

Pilotos durante minuto de silêncio em memória de Jules Bianchi
Pilotos durante minuto de silêncio em memória de Jules Bianchi, Sergio Perez, Sahara Force India
The Sahara Force India F1 VJM08 exibe homenagem a Jules Bianchi
Capacete de Pastor Maldonado, Lotus F1 Team homenagem a Jules Bianchi
Lotus F1 E23 com tributo a Jules Bianchi
Pastor Maldonado e Felipe Massa vão ao funeral de Jules Bianchi em Nice, França

Aproveitando as férias da categoria, Felipe Massa e Felipe Nasr falaram com exclusividade ao Motorsport.com sobre como o cotidiano do paddock mudou após a morte de Jules Bianchi. Além disso, eles deram exemplos de mudanças que a categoria adotou, mesmo antes da confirmação da morte do piloto e se o atual grid é unido.

Felipe Nasr comentou sobre o clima após a confirmação do falecimento do francês: "O acidente com o Bianchi deu uma chacoalhada em todo mundo: pilotos, a categoria, a FIA em si, acho que todo mundo abriu o olho. Acredito que os pilotos, desde o acontecimento, se uniram ainda mais."

Massa também lamentou, mas enfatizou que mudanças que já foram feitas:"Depois da corrida que vitimou o Bianchi em Suzuka, algumas coisas mudaram, como o Safety Car virtual. É uma boa ideia, com isso um acidente igual ao do Bianchi ficaria impossível de acontecer hoje."

O novo sistema citado por Massa também é considerado como um dos pontos positivos pelo seu xará: "O Safety Car virtual está funcionando, hoje você vê que para qualquer coisa ele é acionado, se tem um detrito, por exemplo, ou uma situação perigosa", disse Nasr.

Além disso, nas discussões entre pilotos, ambos admitem que o tema está mais presente:"Após o acidente o assunto "segurança" entrou em pauta mais vezes. Acho que hoje em dia os carros de Fórmula 1 são seguros. O importante é que as coisas sejam feitas para que não aconteça de novo um acidente tão estúpido como aconteceu", disse Massa.

Já Nasr destacou o trabalho realizado na associação dos pilotos, a GPDA:"Temos associação, a GPDA, em que todos os pilotos da Fórmula 1 estão envolvidos. Discutimos tópicos como segurança e tudo que podemos melhorar na categoria."

Por diversas vezes a Fórmula 1 se viu numa situação em que a mãe natureza não colabora, com a presença próxima de tufões, tempestades, raios e afins. Mesmo com toda pressão dos compromissos comerciais e da televisão, será que os pilotos teriam força para dizer não a uma prova por acharem que a pista não está segura? Com a palavra, um dos mais experientes do grid:

"Os pilotos são fortes, mas o importante é que as ideias venham em grupo. Um piloto só não tem a força de mudar algo relevante, o importante é que seja em grupo e que falem a mesma língua. Às vezes tem piloto que só pensa no seu trabalho, no que a equipe passa para ele, não pensa no grupo", finalizou Felipe Massa.

Próxima Fórmula 1 matéria
Para mulher, Raikkonen está longe de ser o "Iceman"

Previous article

Para mulher, Raikkonen está longe de ser o "Iceman"

Next article

Prost: “Senna e eu seríamos grandes amigos se ele estivesse vivo”

Prost: “Senna e eu seríamos grandes amigos se ele estivesse vivo”
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Felipe Massa Shop Now , Jules Bianchi , Felipe Nasr
Autor Erick Gabriel
Tipo de matéria Últimas notícias