Mosley alfineta Ferrari por veto: "pensamento pequeno"

Ex-presidente da Federação Internacional de Automobilismo critica equipe italiana por barrar limite orçamentário para motores da F1

Max Mosley, ex-presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) entre 1993 e 2009, não concorda com a posição da Ferrari em relação ao veto à proposta de teto orçamentário para os motores da Fórmula 1.

Mosley, em entrevista à rede britânica Sky Sports, criticou a postura da equipe italiana e disse que o time de Maranello joga contra o próprio sucesso quando se coloca contra uma medida que, para o britânico, seria boa para a categoria.

"Você precisa olhar para o todo se você é a Ferrari. Uma F1 que não funcione não é boa para a equipe, já que a categoria é uma grande fonte de marketing para eles. Acho que eles deveriam ser mais generosos. O veto, de qualquer forma, é algo que vem da história", disse.

"Isso vem do fato que a Ferrari se sentou entre nós, os times britânicos e a FIA como se fosse a detentora do "voto de minerva" e conforme eles se moviam para um lado ou para outro, foram ganhando uma importância desproporcional ao tamanho de uma equipe. Gradativamente, isso cresceu a ponto de eles possuírem um poder de veto real", afirmou.

Mosley finalizou com palavras um pouco mais duras em relação à postura da Ferrari na questão, criticando a forma como os italianos enxergam o tema.

"Acredito que isso mostra um pensamento pequeno. Se estivesse no lugar da Ferrari, pensaria: "Preciso que a F1 tenha sucesso, então farei tudo o que estiver ao meu alcance para que isso aconteça. Se eu não vencer, será culpa de meus engenheiros, já que eles tinham recursos disponíveis e não lidaram com isso da melhor maneira", completou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias