Motor de Hamilton esteve perto do limite no GP da Austrália

Mercedes está confiante que unidade de inglês não sofreu danos, apesar de estar perto do limite de temperatura durante prova em Melbourne

Lewis Hamilton foi forçado a perseguir Sebastian Vettel, na tentativa de recuperar a liderança do GP da Austrália, após a saída do Safety Car Virtual. 

Forçar o carro atrás da Ferrari significou que as temperaturas do motor de Hamilton aumentaram. No final, o piloto da Mercedes desistiu da batalha para se certificar de que não teria riscos de falhas no futuro, já que cada piloto pode utilizar até três unidades por toda a temporada.

O engenheiro de pista da Mercedes, Andrew Shovlin, revelou que o motor de Hamilton esteve perto do limite de temperatura, mas também que não há indicações de que ele tenha excedido algum.

“Vocês devem ter ouvido no rádio nós falando a Hamilton que as coisas estavam esquentando, isso acontece quando os radiadores não tem ar limpo.”

“Com a briga, chegamos perto do limite de temperatura e estamos monitorando todos esses limites de perto. Você precisa se certificar de que não pode ultrapassar esses limites.”

“No caso de Lewis, estávamos OK. Estávamos perto do limite e você ouviu Lewis falar no rádio que estava desistindo da briga para economizar motor. Bem, com isso o carro voltou a ficar melhor refrigerado.”

A Mercedes vai inspecionar o motor perto do GP do Bahrein, mas disse que não havia planos para trazer um segundo motor para a prova. 

“Vamos utilizar esse motor no Bahrein e na China e estaremos monitorando para nos certificarmos de que tudo está OK.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Lewis Hamilton
Equipes Mercedes
Tipo de artigo Últimas notícias