Motor Ferrari cumpre distância de 7 GPs em simulações

Time de Maranello trabalha duro durante inverno e crê ter corrigido problemas de confiabilidade

A Ferrari está otimista. O motor que começará a temporada 2018 já parece ter conseguido durar sete GPs consecutivos no banco de teste. Apesar de problemas na ignição do motor em duas tentativas, os testes de durabilidade no banco foram mais do que dados positivos.

A Ferrari de 2018 parece ser um pouco maior que sua antecessora e terá um ótimo desenvolvimento aerodinâmico, mas as dúvidas residem na necessidade de usar por regulamento apenas três unidades motrizes para completar as 21 corridas do calendário nesta temporada.

Considerando que o V6 Turbo que será instalado na nova Ferrari no teste de Barcelona mantém uma familiaridade próxima com a unidade 063 que fez a temporada 2017, parece claro que os técnicos italianos tiveram que trabalhar duro para prolongar a vida do motor, que tinha dificuldades de completar cinco GPs seguidos no último ano.

Neste ano, a FIA quer resolver definitivamente o problema da queima de combustível que ocorria no ano passado, quando os lubrificantes eram usados para colocar aditivos na câmara de combustão para melhorar a potência do motor.

Neste caso, a Ferrari parece ter decidido dar um passo atrás antes de dar um maior para frente. O motor de 2018, pelo menos para o início da temporada, terá a mesma potência que o do ano passado. Uma nova especificação, projetada para melhorar a câmara de combustão, estará disponível no meio do ano. O time planeja desafiar a Mercedes em classificação também nesta temporada.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Kimi Raikkonen , Sebastian Vettel
Equipes Ferrari
Tipo de artigo Últimas notícias