Motor de F1 da Mercedes atinge marca notável no dinamômetro

Unidade de potência da fabricante alemã superou a barreira dos 50% de eficiência térmica

O motor da Mercedes na F1 atingiu um novo marco no dinamômetro após superar a barreira dos 50% de eficiência térmica pela primeira vez.

O feito é uma evidência dos avanços realizados pela fabricante alemã na melhora de sua unidade de potência, que é o motor mais eficiente da história das corridas.

Eficiência térmica se tornou um alvo chave para os fabricantes modernos, calculada com base na energia útil que pode ser produzida através do calor.

Isso se tornou particularmente importante na F1 moderna, onde há limitação de fluxo de combustível a 100 kg de gasolina por hora.

A eficiência da Mercedes em 50% faz com que também se trate de um dos melhores motores de combustão interna do mundo.

Agora, ele se aproxima do nível de eficiência térmica atingido por motores a diesel em grandes navios cargueiros, mesmo que as turbinas a gás possam entregar mais de 60% de eficiência.

A marca de 50%, que ainda não foi alcançada dentro da pista, é muito maior do que os 30% de eficiência que os antigos motores aspirados atingiam.

Quando os novos motores turbo híbridos chegaram à F1, em 2014, a Mercedes tinha uma taxa de conversão de 44%, e obteve ganhos desde então.

Em artigo publicado no site oficial da Mercedes na F1, a equipe disse: “Os antigos motores naturalmente aspirados atingiam 29% de eficiência térmica durante a era V8, enquanto que a última vez que víamos esse nível de potência na F1 havia sido em 2005, com os V10, que consumiam 194 kg/h de combustível. Diminuir pela metade o fluxo de combustível com a mesma quantidade de potência é notável.”

“Três anos e meio após fazer sua estreia, a unidade de potência da Mercedes-AMG F1 atingiu uma eficiência de conversão superior a 50% nos testes de dinamômetro em Brixworth.”

“Em outras palavras, ele agora produz mais potência do que gasta energia, o que é um feito notável para qualquer motor híbrido de competição. Se comparado a 2014, a entrega de potência é 104 cv maior usando a mesma quantidade de combustível.”

A Mercedes usou uma versão de seu motor de F1 em seu novo carro de rua Project ONE, que tem uma eficiência térmica de 40%. 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Mercedes
Tipo de artigo Últimas notícias