Mudança dos pneus depende de apoio unânime das equipes

Como a Pirelli não alegou oficialmente questões de segurança para fazer alteração, é necessário um consenso

Atrasada para o GP da Grã-Bretanha, em 28 dias, a estreia dos pneus modificados da Pirelli pode ser frustrada pelas equipes. Ainda que a fornecedora esteja confiante de que vai conseguir o consentimento, a escala das mudanças faz com que seja necessário o apoio unânime dos times.

As alterações, que serão testadas no próximo GP, no Canadá, não serão nos compostos, mas sim na construção dos pneus, que voltarão à especificação de 2012. A questão é que, dessa maneira, as equipes que vêm tendo vantagem por terem descoberto ganho de performance ao inverter os lados dos pneus se sentiram prejudicadas. Isso porque a construção de 2012 não diferencia pneus esquerdos e direitos.

O diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, reconheceu que há equipes infelizes com a mudança. “Há o risco de mudar a dinâmica do pneu em termos de forma e deformação, por exemplo, então dá para imaginar que há algumas equipes reclamando bastante para que mudemos, e outras reclamando da mudança.”

De acordo com o britânico, o papel da Pirelli é ficar no meio do caminho. “Temos de tentar mudar o mínimo possível, porque todos tiveram as mesmas informações antes de começarmos a temporada, então seria injusto penalizar as equipes que compreenderam como usar os pneus.”

É por essa falta de unanimidade que os pneus não estrearão oficialmente no Canadá, sendo usado apenas nas sessões de treinos livres. Cada equipe terá dois jogos destes novos pneus. O acordo entre todas as equipes é necessário porque a Pirelli não alegou questões de segurança para alterar os pneus. 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias