Na véspera de GP, barenitas voltam a protestar contra Fórmula 1

Corrida a ser disputada no dia 21 de abril enfrenta pelo terceiro ano seguido oposição do povo ante à realização

Muro pintado em Manama

Uma semana após o GP da China será realizado o GP do Bahrein, em Sakhir. Depois do cancelamento da corrida, que seria a abertura do mundial, em 2011, e de muitas ameaças locais contra a prova no ano passado, a corrida deste ano também promete sofrer oposição local.

Muitos civis não querem a realização do evento, mas o governo está determinado em fazê-lo acontecer. Segundo o site inglês Daily Mail, manifestantes já fazem barricadas com pneus em chamas em Manama, capital do país, em forma de protesto. Um dia antes da corrida do ano passado, uma pessoa foi encontrada morta em uma manifestação após luta contra a polícia.

O Bahrein tem 750 km² e população de 791 mil pessoas, majoritariamente árabe. Com o governo sunita, cerca de 70% das pessoas é xiita. As manifestações no país tiveram início em fevereiro de 2011 com a onda de protestos contra governos no mundo árabe entre o fim de 2010 e o começo de 2011, movimento conhecido como “Primavera Árabe”.

Os manifestantes pedem a saída da família Al-Khalifa, no poder desde 1783. O Bahrein é atualmente uma monarquia constitucional.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Bahrein
Tipo de artigo Últimas notícias