Não há um problema de segurança na Fórmula 1, salienta Maldonado

Amigo pessoal de Bianchi lamenta situação de francês, mas garante que medo não faz parte da mentalidade dos pilotos

Ainda visivelmente abalado pelo acidente com o amigo Jules Bianchi durante o GP do Japão, o venezuelano Pastor Maldonado admitiu o choque, mas fez questão de lembrar que a Fórmula 1 é segura e que a batida do francês é um evento anormal para a categoria.

[publicidade] Maldonado chegou a visitar Bianchi no hospital onde o francês segue internado em estado grave após sofrer lesões cerebrais depois de chocar-se com sua Marussia em um trator que fazia a remoção de outro carro.

“Além de um colega, é um amigo há muitos anos e é lamentável que esteja no hospital. Nós estamos com ele e desejamos uma recuperação rápida e tudo de melhor”, afirmou ao TotalRace em Sochi, na Rússia, onde a Fórmula 1 faz sua 16ª etapa do campeonato.

“O que aconteceu não é normal na Fórmula 1 e não acho que haja um problema de segurança na categoria. Vimos, nos últimos anos, impactos muito fortes, mas as pistas e os carros são muito seguros. Então eu e a equipe seguimos trabalhando neste final de semana, que será um novo desafio, uma pista diferente. Daremos o melhor, mas sempre pensando em Jules e tentando apoiar toda a família da Fórmula 1 e os que estão mais próximos dele.”

Maldonado preferiu não opinar a respeito do que deve ser feito para evitar que novos acidentes como o de Bianchi aconteçam. “O que aconteceu é algo inexplicável e é difícil dar alguma opinião. Acho que temos de avaliar muito bem antes de falar.”

O piloto da Lotus, contudo, afirmou que, mesmo com o ocorrido, a mentalidade segue a mesma. “Medo é algo que não existe para nós. Quando você coloca o capacete, o mundo ao redor para e você começa a fazer o seu trabalho. Nunca pensa que pode acontecer algo ruim. O que em que começar a pensar nisso, é o momento de parar.”
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias