"Não podemos colocar um piloto despreparado em um carro adaptado para outros atletas", contesta Sauber

Após revés em tribunal australiano, equipe promete recorrer e descarta presença de Van Der Garde nos treinos de sexta

A disputa judicial entre Sauber e Giedo Van Der Garde continua ecoando nos bastidores da Fórmula 1 após a decisão que favoreceu o piloto holandês. 
 
[publicidade]A apelação da equipe suíça será ouvida na quinta-feira, em Melbourne, horas antes do primeiro treino livre da categoria. 
 
Piloto de testes em 2014, Van Der Garde alegou que tinha recebido garantias da Sauber de que seria titular neste ano. Com a opção dos dirigentes por Felipe Nasr e Marcus Ericsson, o holandês foi demitido sem motivo aparente, fato que o revoltou e o motivou a iniciar o processo. 
 
Após o revés no tribunal australiano, a Sauber pediu que o caso fosse examinado novamente. Três juízes assumiram o processo, mas ainda não se posicionaram. A audiência de apelação terá continuação na quinta-feira, e a decisão sairá menos de 24 horas antes do início da temporada da Fórmula 1. 
 
Por razões de segurança, Monisha Kaltenborn, dirigente da escuderia, descartou a hipótese de Van Der Garde guiar o C34 nos treinos livres de sexta-feira. 
 
"Estamos despontados com esta decisão. Agora precisamos de tempo para entender o que isso significa e o impacto que isso terá sobre o início da nossa temporada. O que não podemos fazer é colocar em risco a segurança da nossa equipe, ou qualquer outro piloto na pista, por ter um piloto despreparado em um carro que foi adaptado para outros atletas", disse Kaltenborn através de um comunicado emitido pela Sauber. 
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias