Não queremos beneficiar ninguém, assegura Paul Hembery

Diretor esportivo da Pirelli reconhece que equipes terão trabalho para se adequar e aponta "abordagem neutra"

Após anunciar a alteração nos pneus a partir do GP do Canadá, mesclando a estrutura do produto de 2012 com a performance da borracha de 2013, a Pirelli garantiu que não busca favorecer nenhuma equipe em especial.

A Red Bull criticou duramente a abordagem da fornecedora de pneus, enquanto a Mercedes também vem tendo problemas para se entender com os compostos atuais.

“Não dá para agradar a todos e esse é um fato”, afirmou Paul Hembery, diretor esportivo da Pirelli, à SkySports. “As pessoas vão apontar para a Lotus e a Ferrari para exemplificar isso, e pelo ponto de vista deles, as coisas estão bem. Mas a Red Bull venceu duas corridas e está liderando o campeonato. Então eles não estão indo tão mal, mesmo com o produto atual.”

A Red Bull lidera o campeonato de construtores, a 14 pontos da Ferrari e Sebastian Vettel é o melhor entre os pilotos, com quatro de vantagem para Kimi Raikkonen, da Lotus.

“Em relação ao Christian Horner [chefe da Red Bull], acho que falei uns cinco minutos com ele sobre o assunto. É realmente uma decisão da Pirelli; temos de olhar para todas as equipes e como a situação se desenvolve e essa é a base da decisão”, assegurou Hembery.

“Temos de tomar uma decisão baseada nos dados que adquirimos de todas as 11 equipes. Claro que há um time que prefere uma abordagem em relação à outra. Mas tentamos ter a abordagem mais neutra para tomar nossas decisões para que seja o melhor para a maioria.”

As mudanças significam que a estrutura dos pneus será alterada, mudando a interação aerodinâmica com o carro.

“Daremos mais informações às equipes amanhã. Estamos finalizando a especificação precisa. Na realidade, é uma mistura entre o que estamos usando nesta temporada e a parte estrutural da temporada passada, o que ajuda a minimizar o impacto para as equipes.”

Hembery reconheceu que as equipes terão trabalho para se adequar. “Como se pode imaginar, existe muito trabalho aerodinâmico para ser feito e os pneus podem impactar nisso – a maneira como eles se deformam. Então as equipes precisam destes dados para começar a trabalhar para o Canadá. Também mudará a maneira como os compostos vão trabalhar com o carro: eles serão menos agressivos de certos pontos de vista, o que muda um pouco a estratégia de como usá-los durante a corrida.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias