Não queremos um novo Senna x Prost, avisa chefe da Mercedes

Toto Wolff pede que seus pilotos evitem acidentes nas últimas duas provas e vê situação difícil para Rosberg

A quinta vitória seguida de Lewis Hamilton no Campeonato complicou de vez a vida de Nico Rosberg na busca pelo primeiro título mundial. Com duas etapas para o final, o inglês já não precisa mais vencer para se consagrar bi, garantindo o título com dois segundos lugares.

Pensando nas possibilidades de resultado das etapas do Brasil e de Abu Dhabi, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, avisou: não quer saber de batidas definindo o campeonato, como aconteceu com Ayrton Senna e Alain Prost em 1989 e 1990.

[publicidade] “Nico está numa situação muito difícil, pois tem de vencer as duas próximas corridas e esperar que Lewis termine atrás da segunda posição ou abandone. [Uma decisão] que não seja limpa seria forçar uma colisão – mas é algo que Nico não pode arriscar fazer. Não queremos uma situação como a de Senna e Prost, isso é certo”.

Hamilton e Rosberg já tiveram uma colisão nesta temporada, no GP da Bélgica, situação repreendida com vigor pela equipe. “É verdade que uma colisão não ajudaria Nico [em Austin], mas essas situações podem sempre acontecer – e temos de evitá-las. A última coisa que queremos na decisão em Abu Dhabi é que aconteça uma polêmica porque o título não foi considerado ‘limpo’”, avisou o dirigente.

Sobre a corrida dos Estados Unidos, na qual Rosberg fez a primeira parte na frente, mas foi ultrapassado por Hamilton, Wolff avaliou que o alemão foi “cuidadoso demais” com os pneus e ficou vulnerável.

“Parece que ele estava cuidando demais dos pneus, pelo menos olhando de fora. Lewis diminuiu a diferença e usou o DRS para passar. Nico parecia ter ritmo para segurá-lo, como mostrou nas voltas finais, sendo mais rápido. Então minha impressão é que ele talvez tenha sido cuidadoso demais.”
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias