"Não sabia se ria ou chorava depois do GP", diz chefe da Mercedes

Toto Wolff diz que equipe está "confortável" com decisão de Hamilton de não atender a ordem do time

A Mercedes espera não ter de intervir na briga entre seus dois pilotos, o líder do campeonato, Nico Rosberg, e seu maior rival pelo título, Lewis Hamilton, que está 11 pontos atrás, depois que o inglês ignorou uma ordem para deixar o companheiro passar durante o GP da Hungria, no último final de semana. O chefe administrativo do time, Toto Wolff, explicou que os pilotos seguem livres para lutar pela vitória e explicou que a reação de Hamilton não causou qualquer constrangimento interno.

[publicidade]“Fiquei um pouco estarrecido após o final da corrida, pois terminamos em terceiro e quarto largando com um carro na pole e outro no pitlane. Não sabia se ria ou chorava”, reconheceu.

“Pedimos a Lewis que deixasse Nico passar porque achávamos que ambos ainda tinham chance de vencer a corrida devido às estratégias diferentes. Mas Nico em momento algum se aproximou o suficiente para fazer a ultrapassagem – então ficamos confortáveis com a decisão de Lewis de não abrir.”

Para Wolff, o grande problema da Mercedes no momento não são seus pilotos e, sim, a confiabilidade do carro. “Essa questão desvia o foco de nosso problema real no momento. Se tivermos a oportunidade de dar aos nossos pilotos o potencial total do carro, então deveríamos estar lutando pelas duas primeiras posições e nossos pilotos estariam livres para lutar pela vitória. Não temos feito isso e é algo que está nos dando algumas dores de cabeça.”
Na Hungria, por exemplo, o time enfrentou problemas com os dois carros. “Foi como Nico disse, uma corrida de ‘e se’. E se não tivéssemos sido pegos pelo primeiro Safety Car? E se os freios não tivessem se superaquecido na primeira relargada, nos fazendo perder posições? E se Lewis tivesse deixado Nico passar? Ele certamente tinha ritmo, mas as situações não favoreceram.”

Além dos problemas de freio no carro de Rosberg, a Mercedes também teve de lidar com uma perda de pressão de combustível no outro carro, nas voltas finais. Em relação à corrida de recuperação de Hamilton, Wolff considerou sua performance “uma das melhores da temporada, tirando a rodada na primeira volta. Chegou um momento em que ele parecia que poderia vencer e acho que isso é o que os fãs querem ver.”
 
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias