"Não somos favoritos", diz Vettel: problemas da Austrália voltam a assombrar

compartilhar
comentários
28 de mar de 2014 08:32

Red Bull enfrenta situação semelhante à que causou exclusão de Ricciardo há duas semanas, em Melbourne

Preocupado com possíveis quebras de seu carro, Sebastian Vettel pode ter ficado a menos de um décimo do melhor tempo de Nico Rosberg, mas o alemão não se coloca entre os favoritos para o GP da Malásia. Enquanto isso, sua equipe, a Red Bull, voltou a enfrentar problemas com o sensor que mede o fluxo de combustível, o que causou a punição a Daniel Ricciardo no GP da Austrália.

“Ainda não chegamos a um ponto em que tudo é 100% confiável, mas estamos progredindo a cada dia. Toda volta parece nos ajudar e espero evoluir ainda mais para o sábado. O ritmo dos treinos foi bom e veremos o que podemos fazer, mas com certeza não somos favoritos para a corrida”, avaliou o tetracampeão.

Apesar de reconhecer que prefere uma corrida na chuva para igualar as condições de ritmo, Vettel explicou que o grande problema da Red Bull no momento não é o rendimento do carro.

“Não consegui fazer tantas voltas assim em Melbourne, então foi um bom dia. Estamos mais ou menos perto em termos de ritmo, o que é uma boa notícia. Em relação a todo o resto, temos de ser pacientes. Ainda é cedo e temos muita coisa para resolver. Porém, quando acertarmos isso, parece que estamos no caminho certo.”

Nesta sexta-feira, a preocupação da equipe voltou a ser o sensor de fluxo de combustível, que deixou de emitir sinais no carro de Ricciardo e foi trocado. A situação é semelhante ao que ocorreu há duas semanas, na Austrália, e acabou causando a exclusão do australiano da prova, pois o time se recusou a seguir as instruções da FIA e acabou, segundo a entidade, ultrapassando o limite regulamentar de 100kg/h. A equipe apelou da decisão.

“Se virmos uma variação, o que vamos fazer? Tomara que possamos concordar com algo sensível”, afirmou o chefe do time, Christian Horner. “Espero que o novo sensor se comporte. Se não for o caso, nos encontraremos em uma situação estranha.”

Horner assegurou que a Red Bull não é a única que vem tendo problemas do tipo. “Sabemos que a Toro Rosso teve duas quebras hoje. O sensor de Sergio Perez não funcionou a corrida inteira [em Melbourne] e os outros tiveram discrepâncias nas leituras. Se [a diferença] for de 0.25%, dá para viver com isso, mas se for 2% não dá. Depende do valor.”
Próxima Fórmula 1 matéria
Sexto nos treinos, Massa vê briga boa atrás das Mercedes

Previous article

Sexto nos treinos, Massa vê briga boa atrás das Mercedes

Next article

Rosberg teme pneus, enquanto Hamilton torce contra quebras

Rosberg teme pneus, enquanto Hamilton torce contra quebras
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Tipo de matéria Últimas notícias