"Não temos alcançado os pontos que poderíamos", admite Gillan

Engenheiro-chefe de operações espera que oitavo lugar de Maldonado em Suzuka tenha sido o ponto de virada

Mark Gillan, da Williams

Um carro capaz de vencer corridas, como fez em Barcelona, ou uma equipe à frente apenas da Toro Rosso e das nanicas, como sugere a classificação do mundial de construtores? Nesta sexta-feira, na Coréia, o chefe de operações da Williams, Mark Gillan comentou sobre a verdadeira face do time de Grove durante entrevista coletiva.

“Em termos de ritmo, nosso carro vem evoluindo durante a temporada. Tivemos um ponto alto em Barcelona, mas realmente não temos alcançado os pontos que poderíamos nas últimas corridas. Espero que Suzuka tenha representado um ponto de virada em relação a isso”, disse o engenheiro, sobre o oitavo lugar conquistado por Pastor Maldonado no Japão. “Embora não tenhamos tido uma boa qualificação lá, o ritmo de corrida foi muito bom. Precisamos agora amarrar as duas pontas, indo bem tanto no treino como na corrida”, concluiu.

Gillan afirmou que, ao contrário do ano passado, quando o time praticamente abandonou o carro de 2011 no segundo semestre para se dedicar ao desenvolvimento do modelo de 2012, em 2012 o foco é todo no carro atual. “Na última temporada passamos as seis corridas finais focando no carro de 2012. Este ano estamos nos esforçando em desenvolver o carro até o final, claro, deixando um caminho bom para 2013 e pensando também em 2014, que será muito importante”, disse Gillan, lembrando das mudanças de regulamento que devem ocorrer daqui a duas temporadas.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias