Nasr defende troca de engenheiro de pista durante temporada

Brasileiro da Sauber se viu obrigado a trocar profissional responsável por seu carro após sentir desconforto: “faltou conexão”

A temporada de estreia de Felipe Nasr foi consideravelmente atribulada nos bastidores. O brasileiro se viu obrigado a trocar o engenheiro de pista a partir da 15ª etapa, o GP da Rússia. Antes disso, ele estava insatisfeito com as soluções apresentadas por Craig Gardiner, a quem considerava inexperiente para liderar o trabalho de um carro na Fórmula 1.

Vendo a necessidade da troca, Nasr passou a contar nas últimas cinco provas com o engenheiro Paul Russell, o que fez com que o trabalho melhorasse.

“Foi uma decisão em conjunto, mutuamente com o time”, disse Nasr em entrevista exclusiva ao MOTORSPORT.COM.

“Você tem de ter uma conexão com a pessoa com quem você trabalha. Acho que faltou isso comigo e com o Craig. A decisão veio junto com o time, que também viu isso.”

“E, a partir do momento em que o Paul assumiu, temos tido um bom relacionamento. Tive um bom início nesta fase com o Paul, que foi na corrida da Rússia, quando consegui um sexto lugar.”

“Como disse, este é um aspecto importantíssimo. É importante você estar confortável e o engenheiro estar confortável. É preciso haver uma relação em conjunto.”

Aliado a isso, Nasr ficou sem novas peças em seu carro do GP da Austrália, abertura do ano, até a 13ª etapa, em Cingapura. Para ele, foi um dos pontos mais difíceis de seu ano de estreia. “Isso foi muito complicado. Nos vimos em uma situação no início do ano, mas no meio nos vimos sem competitividade com o carro. Vimos outros times crescendo, como Force India e Toro Rosso.”

“Sabia que seria um ano complicado. Mas acho que com o equipamento que temos fizemos um bom trabalho.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Felipe Nasr
Tipo de artigo Últimas notícias