Nasr diz que bater Ericsson não o deixa satisfeito

Piloto brasileiro se classifica à frente de companheiro pela primeira vez no ano, mas lamenta 19º lugar no grid

O sábado para Felipe Nasr acabou cedo. Ele foi eliminado no Q1 com apenas o 19º tempo mesmo com um novo chassi mais equilibrado que o que teve nas três primeiras corridas do ano.

No entanto, o lado bom para ele foi ter batido o sueco Marcus Ericsson, seu companheiro na Sauber. O piloto brasileiro sairá pela primeira vez no ano à frente do parceiro.

“O carro está mais estável desde o primeiro momento que o colocamos na pista na sexta”, disse Nasr em coletiva na Rússia.

“Estou mais feliz com o balanço e a aderência do carro, diferente das outras três corridas. Gostaria de agradecer a equipe por confiar no meu feedback em um momento tão difícil de trazer um novo chassi. Fizeram um bom trabalho.”

“Infelizmente esta continua sendo nossa realidade. Não estamos felizes como equipe e eu como piloto também não, porque estou muito atrás no grid.”

“Há muito trabalho para nós. É bom ter o carro de volta para mim, sei o que esperar agora. Posso trabalhar em detalhes, algo que não conseguia nas outras corridas. Isso é positivo.”

Mesmo ficando à frente de Ericsson, 22º e último no grid, Nasr não está satisfeito de forma alguma com seu resultado. “Na verdade, não”, esclareceu.

“Não acho que alívio seja a palavra e acho que não estou aqui para bater Marcus apenas. Não estou feliz de estar em 19º. Como um piloto, você quer mais. Estou feliz com a volta que eu fiz, mas não satisfaz. Quero ir além.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Rússia
Pista Sochi Autodrom
Pilotos Felipe Nasr
Tipo de artigo Últimas notícias