Nasr fala em "tentar qualquer coisa" para permanecer na F1

Brasileiro dá prioridade à Sauber na permanência no grid em 2017, após fim de acordo com Banco do Brasil

Felipe Nasr admite que a confirmação da perda do seu patrocinador deixou seu trabalho muito mais difícil, apesar do nono lugar no GP do Brasil, dando à Sauber um grande impulso financeiro.

"Não ajuda, mas não posso mudar isso agora", disse Nasr ao Motorsport.com quando perguntado sobre a perda do apoio do Banco do Brasil.

"Temos que trabalhar em uma solução. Mas sabemos como o tempo é crucial na F1."

"Minha prioridade é ficar aqui [na Sauber] se pudermos, então vamos trabalhar nisso. Agora que o campeonato acabou, podemos focar mais."

"O dinheiro ainda pesa mais sobre o talento. Como eu disse, ainda estamos trabalhando em uma solução, ainda estamos trabalhando em coisas que podemos fazer pelo nosso lado, e enquanto houver energia e vontade de estar aqui, vamos tentar qualquer coisa."

Perguntado se a chefe da Sauber, Monisha Kaltenborn, estava deixando a porta aberta enquanto ele tentava fazer um acordo, ele disse: "eu não sei. Você deve perguntar a ela."

"Tudo o que posso dizer é que dei à equipe esses dois pontos, e é o melhor patrocínio que você pode imaginar."

No entanto, Nasr não descartou um futuro no Manor, o outro time com assentos abertos para 2017.

"Eu realmente tenho que colocar as coisas sobre a mesa", acrescentou. "Eu não estou fechando a porta para ninguém agora. Estou realmente olhando para as opções e as analisando para ver o que é melhor para o meu futuro."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Felipe Nasr
Equipes Sauber
Tipo de artigo Últimas notícias