"Negócios a terminar" trouxeram Alonso de volta, diz Ron Dennis

Ex-desafetos querem escrever novo capítulo em sua história após problemas no passado; Button vê "desafio"

A reunião dos ex-desafetos Ron Dennis e Fernando Alonso na McLaren a partir do ano que vem foi o tema central da primeira entrevista no retorno do espanhol ao time inglês, ao lado de Jenson Button e com os motores Honda. E os dois, que viveram uma relação conturbada na primeira passagem do bicampeão por Woking, em 2007, garantiram que o clima é de paz – e garantiram que querem mostrar que podem trabalhar bem juntos.

[publicidade] “Uma coisa não mudou [desde 2007] e é o foco de Fernando em vencer. Esse também é nosso objetivo. Uma das coisas que eu realmente respeito é que ele escolheu o caminho de deixar uma das equipes de mais sucesso na Fórmula 1 e voltar à McLaren, resolvendo o que nós sentimos que são negócios a terminar”, declarou o presidente da McLaren. “Esse é um jeito diferente de vencer. Fernando vai provar que ele é um vencedor. Mas ele vai mostrar também que pode se reintegrar com nossa equipe.”

A reaproximação entre o piloto espanhol e o time inglês começou há 18 meses, segundo o bicampeão, que aproveitou para agradeceu ao ex-chefe da equipe, Martin Whitmarsh, além do atual Eric Boullier e Dennis. Alonso afirmou ter se encontrado com o presidente da McLaren em quartos de hotel, jantares e nas pistas durante esse período e garantiu que ambos chegaram à conclusão de que são “pessoas muito competitivas e às vezes pessoas competitivas não entram em acordo.”

Alonso destacou ainda que a inexperiência foi um fator que o atrapalhou em 2007, quando chegou à McLaren com apenas 25 anos. “Senti que havia negócios a terminar quando saí. Trouxe o número 1 da Renault e agora vou trazê-lo de volta à McLaren ao pilotar por eles”, afirmou o espanhol.

“Quando essa parceria com a Honda foi anunciada me pareceu atraente. Vi coisas que me dão confiança que coisas boas virão. Temos de ser realistas e confiantes. Este ano não foi muito bom para a McLaren e para a Honda serão as primeiras corridas com essa complexa unidade de potência. É difícil dizer quando seremos competitivos. Mas há sinais de que estamos na direção certa.”

Fazer dupla com Alonso é "desafio" para Button

Alonso terá a seu lado, pela terceira vez na carreira, um campeão mundial. Button destacou a dificuldade em enfrentar o espanhol e se disse contente em participar do novo projeto da McLaren, equipe em que está desde 2010.

“É muito especial estar sentado aqui como piloto da McLaren-Honda ao lado deste cara”, disse Button em referência a Alonso. “É meu 16º ano na Fórmula 1 e meu sexto na McLaren. Não sou de fugir de desafios na vida e estar envolvido neste projeto é muito animador e correr ao lado deste cara é um grande desafio.”

Sobre a manutenção de Button, Dennis confirmou que o inglês permanece por mais dois anos, mas revelou que o contrato só foi assinado na noite da quarta-feira. A demora esteve relacionada, segundo o dirigente, à possibilidade das equipes terem três carros ano que vem. “Acho que foi justificável eu ter demorado [para decidir], porque a dor para eles não foi nada em comparação com a dor que eu sentiria se tivesse errado.”
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias