Newey: F1 corre risco de virar um eterno Mercedes x Ferrari

Engenheiro que fez história na categoria acredita que, caso motores independentes não sejam aprovados, a Fórmula 1 pode ser dominada por Ferrari e Mercedes por longos anos

A Fórmula 1 corre o risco de se transformar em um esporte onde apenas Mercedes e Ferrari serão capazes de ganhar corridas se não abraçar a ideia de um motor independente, avalia o engenheiro Adrian Newey.

Enquanto os fabricantes de Fórmula 1 estão tentando montar um plano para reduzir os custos para as unidades de potência, ou arriscar um motor independente, Newey é inflexível sobre qual rota o esporte deva traçar.

Ele está particularmente preocupado que o regulamento atual da F1 signifique que apenas as principais equipes de fábrica tenham a chance de ganhar - algo que ele pensa ser prejudicial.

"Eu acho que o motor independente é uma opção muito boa, pois permite que as equipes privadas consigam um motor competitivo com um custo muito mais razoável", disse Newey ao Motorsport.com.

"Se você olhar para trás na história da Fórmula 1, ela fica mais saudável quando as equipes privadas podem ter acesso a unidades de potência competitivas. A Cosworth DFV era o melhor exemplo disso".

"O custo será muito mais razoável, mas eu acho que o mais importante é a disponibilidade de uma unidade de potência competitiva."

Ele acrescentou: "no momento, as equipes de clientes de Mercedes e Ferrari não recebem a mesma especificação das equipes de fábrica".

"Então, nós estamos realmente em uma situação em que apenas uma Mercedes ou Ferrari pode ganhar corridas ou campeonatos, o que para mim não é o que F1 deve ser."

Equilíbrio de desempenho

Uma das maiores preocupações sobre a eventual introdução de um motor independente é a dificuldade de alcançar um equilíbrio de desempenho com os atuais turbos V6.

Mas ao invés de se preocupar com essa questão, Newey acha que a mudança poderia realmente servir para apimentar a Fórmula 1, pois poderia permitir a oscilação de desempenho em diferentes faixas.

"A ideia de uma unidade de potência independente é permitir que as equipes pequenas tenham um motor plenamente competitivo", disse.

"A produção de uma unidade de potência que não esteja prevista no regulamento, o que é plenamente competitivo, é muito fácil. Então, é só tentar obter o equilíbrio certo entre os motores independentes e o motor de fábrica".

"Eu acho que o que poderia ser emocionante sobre isso é que as características serão diferentes com os motores independentes. Isso significa que em algumas corridas a motor independente poderia ter uma vantagem".

"Em outras corridas isso seria uma desvantagem, mas a partir de um ponto de interesse público geral, leva ao público o que ele quer ver, porque isso significa que você começa a ver vencedores diferentes em diferentes corridas. É imprevisível."

Entrevistado por Darshan Chokhani

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Ferrari , Red Bull Racing , Mercedes
Tipo de artigo Últimas notícias