Newey: “O artista dentro de mim vê o Halo ofensivo”

Projetista da Red Bull diz ter “sentimentos mistos” com novo dispositivo, mas entende imposição da FIA

A maior polêmica para a temporada de 2018 da Fórmula 1 certamente é a obrigatoriedade do Halo nos carros. A polêmica se deve ao fato de o dispositivo de segurança ser, na visão da maioria das pessoas, feio e pouco prático.

Adrian Newey, projetista da multicampeão na F1, concorda com a opinião, apesar de entender o que o Halo será introduzido pelo bem da segurança.

“Devo admitir que tenho sentimentos mistos falando do Halo”, disse à Sky Sports.

“De um lado, qualquer coisa que você possa fazer para ter um carro mais seguro é uma boa coisa. Quando alguém se machuca seriamente ou morre, é realmente terrível. Eu fui ao funeral do Justin Wilson dois anos atrás e aquilo foi terrível. Então, se vai ajudar os carros a serem mais seguros, precisa ser aplaudido.”

“O engenheiro em mim, no entanto, diz que é uma solução muito desajeitada e feia e que deveríamos ser capazes de fazer algo melhor do que isso."

“Provavelmente o canopy (proteção que cobre o cockpit) seria visualmente mais atrativo, mas aí fecharia o cockpit.”

“Mas, o que eu acho que é importante, é que o que a Fórmula 1 for fazer precise ser também incorporado nas fórmulas inferiores. A vida de pilotos da Fórmula Ford não é menos valiosa que a vida dos pilotos da Fórmula 1.”

“Temos que encontrar uma solução para todos. Mas é feio. Não dá para não dizer que não é feio. O artista em mim vê isso como ofensivo.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias