Nico Rosberg está com a vida ganha?

112,141 visualizações

Como o atual campeão da Fórmula 1 conseguirá manter o alto padrão de vida após abdicar da vida agitada e rentável da categoria? João Corrêa reflete sobre as perdas e ganhos da aposentadoria do alemão

O piloto da Mercedes, Nico Rosberg ao anunciar sua aposentadoria após alcançar seu desafio pessoal de se tornar campeão mundial na Fórmula 1, suscitou uma pergunta mundial: conseguirá ele sobreviver com conforto e segurança sem ter que trabalhar, o que é, hipocrisias a parte, o sonho de bilhões de seres humanos em todo o planeta?

Nico, hoje com 31 anos, é muito jovem para ter direito a uma aposentadoria regular, dessas que são ofertadas por governos ou companhias de previdência privada, portanto, não precisamos nos preocupar em saber se o ex-piloto de F1 alemão recolhe contribuições na Alemanha onde nasceu ou no Principado de Mônaco, onde reside há vários anos, se livrando assim dos altos impostos cobrados nos demais países europeus... Assim como fazem diversos outros pilotos.

Ao deixar de cumprir seu último ano de contrato com a Mercedes, Nico Rosberg deixará de ganhar ao menos US$15.5 milhões correspondentes a seu salário fixo na equipe alemã. Salário este que vem desde 2014, não obstante ele estivesse na equipe desde 2010, depois de quatro anos na Williams, onde começou sua carreira na F1. Haverá perdas iguais ou superiores em função de campanhas publicitárias que deixarão de ser realizadas, muito embora possamos considerar que sua súbita aposentadoria tenha atraído tanta atenção da mídia e do público que seu passe publicitário valorizou acima da média dos campeões. Quanto não valerá um comercial de Nico Rosberg, o jovem aposentado, para instituições financeiras que prometem bons rendimentos e segurança no longo prazo? Afinal, pelo menos a princípio, Rosberg vai viver de renda fixa, das aplicações do 'pé de meia' que fez ao longo de sua carreira de piloto. Muito embora possamos imaginar a hipótese de Nico também ter feito investimentos imobiliários e, quem sabe assim, já ser mais um rentista.

Se a fortuna de Lewis Hamilton, seu ex-companheiro e grande rival na Mercedes, é avaliada em algo em torno de 300 milhões de dólares, a fortuna de Rosberg tem sido orçada em algo em torno de 70 milhões de dólares. Então, tendo por base esta estimativa, em uma aplicação de nenhum risco financeiro, Nico Rosberg obteria um retorno de 5% anual sobre o capital investido, o que daria um rendimento mensal de aproximadamente 291 mil dólares ou algo como 960 mil reais. O custo de vida em Monte Carlo é alto, todavia, é possível se imaginar uma vida confortável para Nico Rosberg, esposa e filhinha para o resto da vida desde que reaplique o que conseguir não gastar para combater a inflação, fora o que sempre entrará de publicidade e participações em eventos esportivos. Esse seria o pensamento conservador de quem resolve segurar um pássaro na mão mesmo na presença de vários outros voando no céu. Mas pilotos de F1 são avessos a riscos? Se ele comprar 60 apartamentos de US$ 1 milhão de dólares cada um, terá um rendimento mensal de no mínimo - já com impostos pagos - de 120 mil dólares, o que dá para continuar na festa e com o patrimônio garantido... Quem não irá querer ter o Rosberg de senhorio?

Seu pai, Keke Rosberg, igualmente ex-campeão mundial de F1, tem uma equipe de corrida, o Team Rosberg que corre com carros oficiais da Audi no DTM. Mas Nico parece estar inclinado a se transformar em um galã de cinema. De qualquer forma, Rosberg sim, está com a vida ganha. Porém, não tanto quanto outro ex-campeão mundial que se aposenta este ano, Jenson Button, que tem fortuna calculada em mais de 100 milhões de dólares, e que ainda não chega perto dos dois que tem mais de 200 milhões: Kimi Raikkonen e Fernando Alonso... pilotos que brevemente serão alcançados por Sebastian Vettel, que além de jovem, possui o salário mais alto do grid, com US$ 50 milhões anuais pagos pela Ferrari.

O que Nico Rosberg não deve fazer é se arriscar em esportes perigosos como fez seu ex-companheiro na Mercedes, o hepta campeão Michael Schumacher, que chegou a ter uma fortuna estimada em 800 milhões de dólares, o piloto que mais ganhou dinheiro na historia da F1. Dinheiro este que, por ironia triste do destino é que consegue manter seu custosíssimo tratamento após o acidente de esqui que sofreu. Deste dinheiro acumulado por Schumacher, várias fortunas iguais a de Rosberg já foram gastas com o tratamento, mostrando que a saúde ainda é o grande capital de uma vida ganha. 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Análise