Nossa briga é com a Mercedes, não com a Pirelli, diz Horner

Chefe da Red Bull teme que teste realizado em Barcelona abra uma brecha para que todos façam o mesmo

Um dos que reclamou mais acintosamente do teste feito pela Mercedes com o carro atual para a Pirelli em Barcelona, Christian Horner reiterou que a briga de Red Bull e Ferrari é com o time alemão, e não com a fornecedora de pneus.

O chefe da Red Bull reconhece que todos têm um contrato com a Pirelli que lhe permite fazer um teste de até 1000km com a empresa. Porém, a visão da equipe é que o regulamento esportivo está acima deste acordo – e não permite que se teste por tantos quilômetros com carros dos últimos dois anos.

“Seus contratos com seus fornecedores são irrelevantes – em nossa opinião – para o comprometimento de uma equipe”, resumiu Horner. “Quando se entra no campeonato mundial, é a responsabilidade da equipe respeitar o regulamento. Não importa o que os contratos digam. A questão não é tanto com a Pirelli, é mais porque uma equipe testou de propósito com um carro atual em um circuito atual e isso, em nossa visão, fere o regulamento.”

O temor do dirigente é que o teste, que chamou de “clandestino”, abra uma brecha para o fim da limitação nos trabalhos de pista, em vigor desde 2009.

“Obviamente, eles têm um contrato com todas as equipes permitindo fazer 1000km de testes. O pequeno problema é que as regras não – em nossa opinião – permitem que se faça isso. Acho que o perigo é que de repente voltemos tudo, abrindo os testes e gastando muito mais.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias