Novas regras não vão afetar ultrapassagens na F1, diz FIA

Pilotos temem que modificações aguardadas para 2017 dificultem aproximação para ultrapassagens, mas FIA apresenta outra visão

A preocupação dos pilotos da Fórmula 1 de que as novas regras de 2017 deixarão as ultrapassagens muito mais difíceis foram amenizadas pela FIA.

A F1 está planejando entregar carros que são até cinco segundos por volta mais rápidos no próximo ano, como parte de um esforço para tornar a categoria mais difícil para os pilotos e para levantar os níveis de entusiasmo dos fãs.

Mas esse salto velocidade provocou preocupação entre uma série de estrelas, que temem que um aumento dramático nos níveis de downforce tornará quase impossível seguir outros carros de perto para fazer ultrapassagens.

O britânico Lewis Hamilton é um dos pilotos que tem falado sobre as mudanças, que para ele em nada adicionará no espetáculo.

"Acho que precisamos de mais aderência mecânica e menos rastro aerodinâmico saindo da parte de trás dos carros para que possamos chegar perto e ultrapassar", disse.

"Rodar cinco segundos mais rápido em nada vai mudar. Só vamos estar pilotando mais rápido"

Aderência mecânica

Mas o diretor de provas da F1, Charlie Whiting, acha que tais preocupações são infundadas, pois um grande aumento de velocidade do próximo ano virá da aderência mecânica devido aos pneus maiores.

"Nós tivemos inúmeras reuniões com os diretores técnicos de cada equipe, e nós tivemos toda uma série de propostas a partir do que parece ir de uma enorme quantidade de downforce para um nível muito baixo de downforce", explicou Whiting, sobre o processo que a FIA aprovou.

"Mas tudo é baseado na premissa de que teremos um aumento significativo na aderência mecânica. Então, o que temos, inevitavelmente, é alguma coisa no meio disso".

"É incorreto dizer antecipadamente que a melhora por tempo de volta vai vir toda do downforce, porque simplesmente não deve ser"

Ele acrescentou: "a ideia é que metade virá de aderência mecânica, e a outra metade virá da pressão aerodinâmica".

"Uma das coisas que temos falado o tempo todo é o fato de que não devemos tornar mais difícil seguir um outro carro, e que tem sido um dos princípios subjacentes. Então, acredito que fizemos o melhor que podíamos, sendo que temos de levar todos os pontos de vista em conta"

Ultrapassagens como prioridade

O presidente da FIA, Jean Todt, deixou claro no fim de semana do Bahrein que uma das principais considerações para o pacote de regras de 2017 era de que as ultrapassagens não fossem ignoradas.

"A prioridade é como fazer a F1 mostrar que é o auge do automobilismo, como fazer carros mais rápidos, mais espetaculares e facilitar a ultrapassagem, mas permanecendo dentro de algum orçamento decente", disse ele.

Pirelli

Um componente importante do pacote de 2017 é a Pirelli fornecer o tipo certo de pneus que permitirão um melhor desempenho dos carros.

Whiting disse que dentro dos próximos dias a FIA deve estar pronta para fornecer um breve documento informativo explicando exatamente as características necessárias para os pneus de F1.

"Nós discutimos isso longamente com a Pirelli", disse. "Tivemos uma reunião em Milão no início de fevereiro e nós fomos convidados a apresentá-los as metas que acreditamos serem possíveis de se atingir ao longo do novo contrato", afirmou.

"Estamos literalmente prontos para fornecer à Pirelli um conjunto de metas que nós sentimos que eles precisam alcançar durante o contrato renovado. É todo o material em curso."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias