Novo chefão de equipe da F1 ignora crise de 'nanicas' e aponta erros

Gene Haas comandará a Haas F1 Team a partir de 2016

Haas criticou as equipes 'nanicas', que sofrem na F1 por problemas financeiros
Enquanto Marussia e Caterham definham a cada dia, a Fórmula 1 agoniza a falta de confiança para novos investidores. Uma rara luz neste cenário sombrio da categoria recai sobre Gene Haas, empresário americano e dono da futura equipe Haas F1 Team, que fará parte do grid da categoria máxima do automobilismo em 2016.
 
[publicidade]Apesar da crise administrativa das duas equipes ‘nanicas’, responsável por questionar investimentos dentro da Fórmula 1, Haas se mostra tranquilo. Em entrevista à ‘CNN’, o chefe da nova escuderia acusa os dois times de erros administrativos, os quais resultaram nas dificuldades enfrentadas por ambos na atualidade.
 
“Eles cometeram muitos erros. Não tinham recursos e os carros jamais alcançaram um nível de competitividade, tudo isso porque apressaram as coisas”, declarou o novo dono de uma escuderia da F1.
 
Haas adotou justamente uma postura cautelosa para adentrar no circo da F1. O empresário americano teve a chance de ingressar no grid já em 2015, mas preferiu trabalhar em parcerias e desenvolvimento do carro para chegar o mais forte possível em 2016.
 
Dentro do planejamento para atingir um grau de competitividade aceitável, a Haas acertou parceria com a Ferrari, que fornecerá os motores para a escuderia na Fórmula 1. O chefão, em contrapartida aos ‘amigos nanicos’, que sofrem com a falta de investidores, comemorou.
 
“Ficaríamos honrados em ser um ‘time B’ da Ferrari, porque isso iria nos ensinar como é estar na F1”, disse Haas, ansioso pela estreia na categoria máxima do automobilismo daqui a menos de dois anos.
 
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias