Novo chefe da Ferrari quer F1 próxima dos jovens e teme por circuitos vazios

Maurizio Arrivabene pede políticas para atrair o público mais novo para a categoria máxima do automobilismo

Maurizio Arrivabene pede uma mudança na política da F1
Novo chefe da Ferrari e pilar de uma nova Era na escuderia vermelha, Maurizio Arrivabene quer mudanças na Fórmula 1. O italiano pede a aproximação de um público jovem, estratégia diferente da adotada por Bernie Ecclestone nos últimos anos.
 
[publicidade]O chefão da Fórmula 1 afirmara que 'não trabalhava pelos jovens', que o público mais novo não interessava aos patrocionadores. Arrivabene, por outro lado, se mostra reticente à postura de Bernie Ecclestone.
 
"Das ferramentas usadas pela nova geração, que é a forma de atrair os jovens e criar hipóteses de os torcedores interagirem mais com as estrelas do nosso esporte. As quintas-feiras de Grande Prémio, por exemplo, poderiam ser melhor exploradas", discursou o chefe da Ferrari.
 
Arrivabene defende uma aproximação do público. Atualmente, apenas VIPs possuem acesso ao paddock e à movimentação das equipes nos bastidores da corrida. 
 
O substituto de Marco Mattiacci na chefia da escuderia de Maranello pede zelo para com o público da categoria, a fim de aumentar o interesse pela Fórmula 1.
 
"Precisamos de continuar a trabalhar para dar às pessoas espectáculo e emoções. Devemos trabalhar para levar a F1 mais próximo dos torcedores, caso contrário arriscamo-nos a correr em circuitos vazios", encerrou.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias