Análise técnica de Giorgio Piola

Novo volante pode dar dica de vantagem da Ferrari com pneus

26,527 visualizações

Chave introduzida no canto inferior do volante dá dicas de como a equipe italiana tem feito bom uso dos pneus Pirelli em 2017

A introdução do novo ajuste “GRIP” no carro da Ferrari de 2017 criou intriga sobre a possibilidade de a vantagem da equipe no uso dos pneus ter sido causada por algum inteligente acerto ajustável pelos pilotos.

As duas vitórias de Sebastian Vettel neste ano tiveram a Ferrari SF70H fazendo um melhor trabalho com o cuidado de seus pneus, mais especificamente com uma janela de operação mais larga com todos os compostos, em todo tipo de condição.

Como disse Toto Wolff, chefe da rival Mercedes, durante o GP da Rússia: “Quanto mais larga a janela for e mais fácil você colocar o carro nesta janela, mais rápido você vai. Quanto mais estreita a janela, mais difícil fica de acertar, e é isso que estamos vendo no momento.”

“A Ferrari parece ser um carro bastante robusto em uma janela de temperatura maior do que nós. Não importa se estamos no Bahrein, onde é muito quente, ou em Sochi, onde é frio. Apenas é um ótimo carro.”

Enquanto a Mercedes procura por respostas, a Ferrari quer entender como seu carro é tão bom em todas as áreas.

A resposta pode estar além do chassi, suspensão ou aerodinâmica e se estender ao que é possível fazer pelos pilotos no cockpit.

Novo ajuste

Ferrari SF70H, steering wheel
 

O vídeo exclusivo de Giorgio Piola sobre as mudanças que a Ferrari fez em seu volante (veja abaixo) dá uma dica de algumas das vantagens que podem aparecer com a forma com que o piloto otimiza seus ajustes para melhorar a performance dos pneus durante a corrida.

Uma nova “chave” apareceu no canto inferior esquerdo do volante. Com opções que variam de 1 a 2, ela é chamada de “GRIP” (aderência), o que sugere que está relacionada à forma com que os carros usam seus pneus.

É a única mudança de maior destaque em comparação aos botões de 2016, sendo que ela está posicionada em um local que permite fácil manuseio por parte e Vettel e Raikkonen.

Ainda não ficou claro, no entanto, se esta nova chave “GRIP” é algo inteiramente novo para esta temporada ou se teve inspiração externa para deixar os comandos do volante mais ordenados do que no ano passado. 

Steering wheel of Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W08

Para 2017, a importância dos comandos no volante ficou maior, com equipes como a Mercedes escondendo suas peças nos boxes para evitar que os rivais vejam suas características.

Além disso, as equipes têm substituído seus volantes quando os carros são levados aos comissários técnicos e utilizado peças postiças. 

Ganho pequeno

Independentemente se o comando “GRIP” é um novo conceito ou se foi introduzido para facilitar o uso de seus pilotos, o fato de a equipe ter dado destaque a ele mostra que deve haver importância no ajuste.

Os pilotos já podiam mudar comandos como diferencial, mapeamento de motor e balanço de freio para ajudar na dirigibilidade, e a possibilidade de haver ajustes pré-definidos que podem ser selecionados com base no rendimento dos pneus parece ser mais condizente com a atual situação da borracha da Pirelli.

Isso significa que é possível lidar com um carro cujo balanço está mudando da parte dianteira para a traseira, alinhando sua temperatura e se adaptando à mudança de um carro com tanque cheio para um tanque vazio.

Aquilo que Vettel e Raikkonen conseguem mudar com base na aderência certamente não é a solução mágica para a boa forma da Ferrari. Mas, em um esporte como a F1, um ganho mínimo pode ser a diferença entre o sucesso e a derrota, o que dá uma ideia do nível de detalhes aos quais uma equipe precisa se atentar para voltar ao topo. 

Outras mudanças

O vídeo de Piola também mostra detalhes interessantes das mudanças que foram feitas para aumentar o conforto dos pilotos.

O volante de Vettel em 2016 era mais longo e fino no local onde ficam as mãos dos pilotos, e, para este ano, isso foi encurtado – provavelmente como consequência das maiores forças que agora estão sendo impostas aos pilotos nos carros de 2017. O volante de Raikkonen também mudou, com um formato diferente no local onde o piloto precisa segurar.  

Alavanca de embreagem

Atrás do volante, a alavanca única de embreagem que a Ferrari usou no ano passado foi mantida.

Como revelou o Motorsport.com, a Ferrari se tornou a primeira equipe a usar um novo tipo de embreagem que é mais longa e situada no centro, em vez de ter duas alavancas separadas nos dois lados do volante.

O tamanho permite aos pilotos um melhor controle no alívio da embreagem e foi mantido mesmo com o limite imposto para o movimento estabelecido em 80 mm. A Haas, parceira da Ferrari, também usa uma solução similar. 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Ferrari
Tipo de artigo Análise
Topic Análise técnica de Giorgio Piola