Oitavo, Senna revela problemas com durabilidade dos pneus

Em seu único dia no cockpit da Williams nesta bateria de testes, brasileiro diz não saber onde time está em relação a rivais

Bruno Senna durante teste em Barcelona

Bruno Senna não se mostrou preocupado com a oitava colocação no primeiro dia de testes coletivos em Barcelona. Mais do que os tempos, a preocupação da Williams hoje foi compreender o comportamento dos pneus, que se desgastaram mais do que em Jerez.

“O programa ainda está mais focado em entender como o carro se comporta em uma série longa de voltas. O carro tem um tipo de comportamento nas primeiras três voltas e outro na 15ª, então é importante aprender como esse comportamento varia para trabalhar de uma forma construtiva na hora de acertá-lo. Ter o carro mais rápido do mundo nas duas primeiras voltas ajuda muito para a classificação, mas nem tanto para a corrida”, afirmou o brasileiro.

Senna reconheceu ainda que ainda falta equilíbrio ao carro nas curvas de baixa.

“Aqui em Barcelona os pneus não estão funcionando tão bem quanto estavam funcionando em Jerez. Então teremos de estudar e ver o que é preciso mexer no carro para melhorar um pouco o equilíbrio nas curvas mais lentas.”

No entanto, o desgaste foi outro ponto que atrapalhou o dia do brasileiro, que completou 97 voltas no circuito Catalão.

“A temperatura dos pneus não está alta como estava em Jerez e isso acaba prejudicando sua durabilidade. Aqui tem muito mais curvas de alta e, se o pneu não está funcionando, esse desgaste fica ainda mais acentuado. É por isso que precisamos melhorar o carro em certas partes da pista.”

Mesmo com todas as dificuldades, Senna aponta que ainda é cedo para saber onde a Williams está em relação aos rivais.

“Por enquanto não sabemos o que cada um está usando de combustível. Vimos uma variação de tempo grande entre a manhã e a tarde dentro da mesma equipe, o que mostra que todos estão jogando bastante com níveis diferentes de combustível e compostos de pneus distintos.”

Tendo de ceder o carro para o piloto reserva Valtteri Bottas amanhã e para o companheiro Pastor Maldonado nos dois dias seguintes, Senna só voltará ao cockpit da Williams nos próximos testes, no início de março. “Claro que estarei acompanhando os testes nos próximos três dias. Tenho muito interesse em entender o que a equipe está fazendo e espero poder participar das melhoras do carro.”

“O Valtteri vai andar em muitos treinos livres nas sextas-feiras e, para ele poder ajudar a equipe de forma efetiva, é importante que ele conheça o carro antes de ir para a pista. Claro que, num mundo ideal, eu estaria amanhã fazendo mais voltas. Mas espero que seja um dia produtivo para a equipe e que o retorno que ele dá seja bom. O importante é que, mesmo que eu não me sente mais no carro, que a gente possa progredir nos próximos três dias.”

O diretor técnico da equipe de Grove, Mark Gillian, afirmou que a equipe já começa a trabalhar na melhoria do acerto do carro.

“Completamos 97 voltas no circuito de Barcelona, trabalhando de forma bem-sucedida em um detalhado programa de comparação aerodinâmica pela manhã antes de começar um trabalho de otimização do acerto, utilizando diversos componentes de pneus à tarde. Continuaremos amanhã com Valtteri no FW34 antes de Pastor assumir o carro nos dois últimos dias.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias