Ordem de equipe a Webber dá o que falar após o GP da Grã-Bretanha

compartilhar
comentários
Ordem de equipe a Webber dá o que falar após o GP da Grã-Bretanha
Por: Julianne Cerasoli
11 de jul de 2011 06:42

Australiano não gostou dos pedidos para que não atacasse Vettel nas últimas voltas da corrida

Webber não gostou nada das ordens para ficar atrás de Vettel

O GP da Grã-Bretanha relançou uma polêmica que andava adormecida desde a liberação das ordens de equipe, a partir desta temporada. A Red Bull pediu repetidamente para que Mark Webber parasse de atacar Sebastian Vettel nas últimas voltas da corrida, mas o australiano prosseguiu pressionando o companheiro. De acordo com o vice-líder do campeonato, foram quatro ou cinco pedidos.

Webber afirmou que entende a posição da equipe, mas não concorda com a atitude. “Claro que eles queriam os pontos, mas também preciso tentar ganhar meus pontos. Continuei lutando pela segunda posição. Recebi algumas ligações deles, mas queria conquistar uma posição a mais, se pudesse. Não é uma luta pela quinta e sexta posições e, se Fernando tivesse algum problema na última volta, seria uma briga pela vitória. Achei que valia a pena tentar, pilotar duro, mas de maneira justa e era isso que queria fazer.”

O australiano afirmou ao TotalRace que “não está contente”. “Ignorei a equipe para tentar ganhar uma posição. Seb estava dando o seu melhor e eu também. Não quero bater em ninguém, e é isso. Tentei fazer o máximo mesmo recebendo as mensagens. Foi uma conversa de um lado só, porque não estava respondendo. Havia muito tráfego, mas estava tentando dar o melhor e passar o cara que estava na minha frente.”

Questionado se não se sentia mal pela atitude de sua equipe, Sebastian Vettel afirmou que a disputa foi verdadeira.

“Obviamente estávamos lutando um com o outro. Não acho que haja nada errado com isso. Claro que, pelo ponto de vista da equipe, não faz sentido disputar e fazer algo estúpido porque os pontos para a equipe eram os mesmos e a diferença entre terceiro e segundo não é tão grande, mas é natural tentarmos disputar. O que posso dizer? Estava tentando defender minha posição e fiz isso. Eu tinha problemas. Mark era mais rápido. Daí recebemos a bandeirada.”

Perguntado o que sentia recebendo ordens de equipe na Red Bull, cujo chefe Christian Horner havia afirmado durante a controvérsia com a Ferrari na Alemanha que nunca faria algo do tipo, Webber foi irônico. “Acho que as ordens de equipe já eram legais ano passado.”

Ao falar do ano passado, o episódio do GP da Alemanha de 2010 foi lembrado – e o apoio dado justamente por Webber a Fernando Alonso, também. Mas o australiano acredita que foi uma situação diferente.

“Continuo com a mesma opinião. Eles tinham um cara tentando lutar pelo campeonato, Fernando. Felipe não estava tendo a temporada que ele está tendo neste ano. Ele está fazendo um trabalho um pouco melhor. Fernando era muito, muito mais rápido. Era o meio do GP e Massa deixou passar. É muito simples.”

Sentado ao lado de Webber e Vettel, Alonso defendeu os pilotos da Red Bull. “Não gosto de politicagem, nem para mim, nem para a Red Bull. Não acho que haja polêmica. Eles estão respondendo tudo muito bem, mas tenho certeza de que todos vocês vão escrever algo.”

Ouvido pelo TotalRace, Stefano Domenicali aproveitou a situação para cutucar os rivais.

“Nem sei o que aconteceu. Me concentro no meu carro. Não vejo os adversários e não fico dando opiniões sobre os outros, ao contrário do que fazem. Dito isso, a água passa por debaixo da ponte. O momento chega para todos.”

Domenicali se referia a Christian Horner, um dos maiores críticos às ações da Ferrari na Alemanha em 2010. O chefe da Red Bull defendeu sua decisão, dizendo à Autosport que Webber é livre para vencer corridas, mas que a situação colocava em risco 33 pontos para a equipe no mundial de construtores.

“No final das contas a equipe é o mais importante, e nenhum indivíduo é maior que o time. Entendo a frustração de Mark, mas, se fosse ao contrário, agiríamos exatamente da mesma maneira. Já tivemos uma situação na Turquia  e vimos o toque entre Hamilton e Massa na última volta. Não faz sentido pelo ponto de vista da equipe deixá-los competir nas últimas voltas. É algo que vou falar em particular com ele.”

(Colaboraram Luis Fernando Ramos e Felipe Motta, de Silverstone)

Próxima Fórmula 1 matéria
Polêmica dos difusores deve acabar com volta às regras de Valência

Previous article

Polêmica dos difusores deve acabar com volta às regras de Valência

Next article

Ferrari cautelosa após vitória inesperada em Silverstone

Ferrari cautelosa após vitória inesperada em Silverstone
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Grã-Bretanha
Localização Silverstone
Pilotos Mark Webber , Sebastian Vettel Shop Now
Autor Julianne Cerasoli
Tipo de matéria Últimas notícias