Ordem entre pilotos e equipes é confiar na FIA sobre o Bahrein

"Você tem de confiar em quem tem as informações e é exatamente o que faremos”, garante o inglês Jenson Button

Último GP no Bahrein aconteceu em 2010

Na base da confiança. É assim que a F-1 caminha para o Bahrein após a confirmação por parte da Federação Internacional de Automobilismo de que a etapa será realizada na semana que vem, ainda que o país passe por turbulências causadas pelos confrontos entre a população e forças do governo.

Sem muita voz ativa na decisão, restou às equipes e pilotos acatá-la e torcer para que a onda de violência não prejudique o evento, como afirmou ao TotalRace o chefe da Red Bull, Christian Horner.

“Houve um diálogo aberto entre as equipes, a FIA e os organizadores. Mas no final das contas não são as equipes que decidem, mas a entidade que controla o esporte. Quando você entra no campeonato, é para fazer todas as corridas, pois é um campeonato da FIA. Eles divulgaram um comunicado que é muito claro. Eles consultaram todas as partes e respeitamos sua decisão. O problema estava sendo a incerteza. Agora todos sabemos que teremos uma corrida no Bahrein semana que vem”.

Horner acredita que todos vão encarar a corrida como um final de semana normal. “Vamos fazer o melhor espetáculo que pudermos. A F-1 é um espetáculo fantástico, a pista de lá é muito boa e é uma das 20 corridas. Pela nossa perspectiva, vamos para lá tentando ser competitivos e vencer.”

Pelo menos é isso que Pastor Maldonado garantiu ao TotalRace. O venezuelano não pretende tomar medidas especiais durante o final de semana. “Minha família vai. Acredito que o GP do Bahrein já estava confirmado faz tempo, mas havia rumores e um pouco de tensão nos últimos dias, mas estava no calendário e estou feliz de ter mais uma corrida.”

Outro que não vê complicações é Jenson Button. “Vamos para o Bahrein. Simples assim. Não sei o que está realmente acontecendo. Você tem as mídias sociais, conversa com as pessoas, mas tem de confiar em quem tem as informações e é exatamente o que faremos.”

Mesmo após a FIA ter assegurado equipes e pilotos de que a situação é mais tranquila e que não haverá problemas em realizar o GP, existe a preocupação em relação à segurança. “A gente vai ter que confiar nos arranjos que a equipe vem fazendo e confiar que tudo vai certo”, espera Bruno Senna, também ouvido pelo TotalRace.

Essa é realmente uma responsabilidade de cada equipe, como frisou Horner. Mas o chefe da Red Bull acredita que as medidas de segurança não serão muito diferentes das que já são tomadas em algumas etapas do Mundial.

“Cada equipe toma isso como responsabilidade sua. Há outras corridas para as quais vamos que têm riscos, depende de cada equipe como você lida com isso. Não será diferente. Às vezes, precauções extra são tomadas. Vamos fazer nosso melhor para nos certificar de que todos os nossos funcionários estarão seguros. Mas não duvido por momento algum que o comunicado da FIA é claro e estamos falando de centenas de equipes indo para a corrida, não apenas a Red Bull.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Jenson Button , Pastor Maldonado
Tipo de artigo Últimas notícias