Pai de Bianchi não está convencido de que Halo seja eficaz

Philippe Bianchi diz que não está certo de que o conceito Halo, testado pela Ferrari nesta quinta feira, seja a melhor solução para a segurança de pilotos na F1

Nesta quinta-feira (03) Kimi Raikkonen deu uma volta de instalação de sua Ferrari com o conceito "Halo" de proteção, para verificar a visibilidade.

Em declarações à emissora francesa CANAL, Philippe Bianchi, pai de Jules Bianchi saudou os esforços pela segurança, mas pediu a quem comanda o esporte não parar na busca de melhores condições de proteção para os pilotos.

"Considero que o que vimos em Barcelona foi um passo à frente em termos de segurança", disse Bianchi. "É evidente que em caso de choque com uma roda, ele pode ser eficiente."

"No entanto, no caso de pequenos detritos, como no acidente de Felipe Massa em 2009, e do piloto Justin Wilson, da Indy, não teria mudado nada. Portanto, é um passo à frente, mas não resolve tudo."

Desaceleração

Para Philippe, a natureza do acidente de Jules Bianchi não tem a ver com o desenho do carro em si. 

"No caso de Jules, nada teria mudado. A desaceleração foi extremamente violenta, o que causou os danos cerebrais. Acredito que uma evolução no HANS, poderia absorver melhor essa desaceleração e poderia ajudar neste caso."

Ação da FIA

Philippe acrescentou que não gostaria de que parassem no desenvolvimento do conceito Halo e pediu à FIA para não descansar sobre os louros após sua introdução.

"É óbvio que não vou falar algo contra que traz mais segurança aos pilotos", disse. "Mas a versão deste sistema 'Halo' não me convenceu e ainda tem que ser aperfeiçoada."

"Esteticamente é muito ruim e eu me pergunto o que o piloto consegue ver por trás do 'Halo'?"

"A FIA tem que ir mais longe."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias