Palmer estava "um cara diferente" em Spa, diz Renault

compartilhar
comentários
Palmer estava
Scott Mitchell
Por: Scott Mitchell
Traduzido por: Daniel Betting
30 de ago de 2017 14:42

Diretor de operações da equipe acredita que piloto britânico mostrou sua melhor forma na Bélgica

Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17, Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR12
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17 after a stop
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team

O piloto da Renault, Jolyon Palmer, estava "um cara diferente" durante o fim de semana do GP da Bélgica, conta o diretor de operações da equipe, Alan Permane.

Palmer mostrou sua forma mais forte de uma temporada difícil até o momento em Spa, superando seu companheiro de equipe Nico Hulkenberg nos treinos livres e classificatório, antes de sofrer uma perda suspeita de pressão do óleo da caixa de câmbio depois do Q3.

Isso provocou uma troca de caixa de câmbio e uma penalidade que colocou Palmer em 14º do grid, e ele só conseguiu terminar a corrida em 13º - tendo que começar com pneus ultramacios usados e sofrendo um choque com Fernando Alonso que ele comparou com a briga de seu colega de equipe com Kevin Magnussen na Hungria.

Permane disse à Motorsport.com: "Ele estava um cara diferente neste fim de semana.”

"Eu espero que a corrida não o tenha abatido e nós possamos ir para Monza e ele possa começar de onde parou, porque ele estava adorando guiar o carro. Ele realmente não fez nenhuma mudança, estava feliz com isso durante todo o fim de semana.”

"Foi muito bom. Foi sem dúvida o seu melhor fim de semana do ano.

"Ele passou de cinco ou seis décimos atrás de Nico para três ou quatro décimos na frente dele neste fim de semana, até a corrida, onde Nico estava de volta às coisas".

Embora Permane tenha admitido que Palmer estivesse confuso "parecia ir para trás na corrida", a equipe não havia completado um esclarecimento significativo naquela hora.

Palmer, que ainda está procurando por seus primeiros pontos da temporada, descreveu como um “voltar ao normal como eu esperava começar a temporada.”

"Eu senti confiança no carro que eu não senti durante toda a temporada. Eu poderia atacar, eu poderia empurrar sem pensar que iriam me colocar na parede em nenhum momento. Foi uma boa mudança em comparação com a maior parte da temporada".

O britânico sofreu intensa pressão este ano, e sua falha em Q3 significa que ele ainda não conseguiu superar seu colega de equipe nas 12 primeiras corridas da temporada.

Os rumores do potencial retorno de Robert Kubica à F1, que incluiu um dia de teste com o Renault RS17 na Hungria, também aumentaram a especulação sobre o futuro de Palmer.

"Eu tive essa pressão por um ano e meio e é sempre assim. Eu não estou incomodado.”

"Vou fazer o mesmo para Monza - tentar obter um ótimo resultado e nem se concentrar em Cingapura, no futuro, no passado ou em qualquer coisa".

Lawrence Barretto/Ben Anderson/Aaron Rook

Próxima Fórmula 1 matéria

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Bélgica
Localização Spa-Francorchamps
Pilotos Jolyon Palmer
Equipes Renault F1 Team
Autor Scott Mitchell
Tipo de matéria Últimas notícias