Para Ecclestone, Austrália "não tem que reclamar" de gastos

Dirigente garante que as taxas pagas por Melbourne para sediar GP sequer cobrem os gastos das equipes

Bernie Ecclestone afirmou que os organizadores do GP da Austrália “não deveriam reclamar” das taxas para realizar a corrida que abre a temporada de Fórmula 1. Nesta semana, o jornal Herald Sun teve acesso a detalhes sobre as quantias pagas a cada ano para que Melbourne realize a prova e revelou que o custo total para o contrato atual, de seis anos, é de 171 milhões de dólares.

A taxa para a corrida de 2011 foi de 31 milhões e há um aumento de cerca de 5% a cada ano, chegando a 37,7 milhões em 2015, último ano do acordo vigente. Mas Ecclestone não quis confirmar os números devido a cláusulas confidenciais. “Aquela corrida provavelmente custa algo entre 17 e 18 milhões, algo do tipo. O dinheiro [pago] para as equipes não está nem perto de cobrir esses gastos. As equipes são subsidiadas pelos patrocinadores”, afirmou ao The Age.

Perguntado se a Austrália deve manter o GP, mesmo com o alto custo, parcialmente pago pelos contribuintes, Ecclestone afirmou que isso depende deles. “Isso é com as pessoas responsáveis. Não posso obrigá-los a assinar um contrato, eles fazem por vontade própria. E não deveriam reclamar depois de assinar.” 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Austrália
Tipo de artigo Últimas notícias