Para Ecclestone, "não haverá ninguém igual" a Sid Watkins

Dirigente trouxe o médico para a F-1 em 1978 e trabalhou junto dele para a melhoria da segurança na categoria

Ecclestone e Watkins

Bernie Ecclestone é conhecido por ter revolucionado a Fórmula 1 como um negócio mundial, mas também foi o dirigente que introduziu o médico Sid Watkins à categoria, em 1978. Falando sobre o neurocirurgião, morto nesta quarta-feira, aos 84 anos, Ecclestone destacou seu papel em transformar a segurança no esporte a motor.

“O que Sid Watkins fez para a segurança na F-1 foi incrível. Ele deu toda sua vida para essa causa, para se certificar que as corridas pudessem ser as mais seguras possíveis. Todos temos com ele um grande débito de gratidão por seu cuidado e comprometimento”, afirmou ao site oficial da F-1.

“Quando o convidei para entrar na F-1 como o médico oficial, durante a temporada de 1978, discutimos muitos aspectos da segurança e questões do atendimento. Concordamos que era necessário um hospital de verdade na pista para estabilizar os pilotos imediatamente, e um helicóptero para transportá-los para instalações específicas, e que elas estivessem próximas. Sid cuidou de tudo isso, e muito mais.”

Antes da entrada de Watkins na F-1, sequer havia um carro médico acompanhando as corridas. "Depois dos acidentes de Jochen Rindt e Ronnie Peterson, sugeri que ele deveria ter um carro de intervenção médica e ele deveria ser o responsável para iniciar os cuidados. Sempre conversamos e trabalhamos juntos, e ele cuidou de toda a parte médica sobre a qual desconhecia.”

“Tenho certeza de que não haverá ninguém igual. Você só conhece alguém de seu calibre uma vez na vida.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias