Para ex-presidente da FIA, F-1 pode entrar em colapso financeiro

Presidente da FIA até 2009, Max Mosley critica falta de poder dado por Bernie Ecclestone à entidade atualmente

Presidente da FIA entre 1993 e 2009, Max Mosley criticou duramente a atual gestão da Fórmula 1. Para ele o campeonato está em risco se não forem encontradas soluções para conter gastos e ajudar as equipes menores. Neste ano a categoria chegou a quase contar com apenas 18 carros no grid, após a quase falência da Marussia.


[publicidade]“Metade das equipes simplesmente não pode competir porque não tem dinheiro suficiente ", disse Mosley ao britânico The Telegraph.

"Para mim, isso é errado. Você não permite que uma equipe faça um motor maior do que o outro, e ainda assim, se uma equipe tem cinco vezes mais dinheiro, o efeito é exatamente o mesmo. Não é justo do ponto de vista esportivo.”

"A única maneira de lidar com isso é fazer com que todos concordem. Você tem de sentar em todas as equipes lá e dizer: 'Olha, coletivamente, temos um enorme problema, porque alguns de vocês tem dinheiro suficiente, mas a maior parte não e, se continuarmos assim, a Fórmula 1 vai entrar em colapso, por isso, estou convidando a todos para concordar com uma mudança.' Infelizmente, você não pode fazer isso sem a unanimidade."

Mosley acredita que se tudo estiver mais ligado a Ecclestone a F-1 corre risco. "Se tudo estiver em um par de mãos, então eu acho que você tem um problema", disse ele.

"Eu não sei o que está nas disposições que foram feitas, mas o meu entendimento é que Bernie juntamente com as equipas podem ter mais votos que a FIA. Eu posso estar errado sobre isso e realmente não devo especular, mas tenho a impressão de que a FIA não esteja talvez tão forte como costumava estar".

Mosley foi afastado da presidência da FIA em 2009 após ser flagrado por vídeo em uma orgia sadomasoquista. O atual presidente é o francês Jean Todt.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias