Para Hamilton e diretor da Mercedes, motores não estão mais barulhentos em 2015

Paddy Lowe atribui impressão à acústica da pista de Jerez; piloto não notou mudanças por enquanto

Quem acompanhou a primeira bateria de testes da pré-temporada, em Jerez de la Frontera, relatou que os motores poderiam estar mais barulhentos. Mas, segundo Lewis Hamilton e Paddy Lowe, da Mercedes, pode não ter passado de uma impressão equivocada. Segundo o diretor-executivo da atual campeã mundial, a acústica de Jerez, que ele compara a um anfiteatro, pode ter contribuído para que o barulho fosse amplificado.
 
[publicidade]"O barulho dos motores é muito debatido nas fábricas. Nós fizemos testes, mas eu não tenho qualquer tipo de medição precisa para nos dizer se somos mais barulhentos do que há um ano. E a pista de Jerez parece um pouco com um anfiteatro, principalmente em comparação com Abu Dhabi, que é mais aberta", explicou.
 
A outra explicação de Lowe é curiosa. Para ele, as férias podem fazer com que os ouvidos fiquem desacostumados ao barulho dos motores.
 
"Talvez seja porque nós estivemos longe dos carros durante os últimos dois ou três meses. É bom voltar a ouvir esse som novamente", disse.
 
Lewis Hamilton considera que o ronco dos motores não mudou em relação ao ano passado.
 
"Para mim, é exatamente o mesmo (barulho). Eu estava lembrando dos velhos motores V10 e V8, mas (a unidade de potência atual) não soa tão especial", opinou.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias