Para Lauda, DRS é um passo na direção errada para a F-1

Tricampeão nas décadas de 1970 e 1980 argumenta que os pilotos não conseguem se defender com a asa ativada

Alonso e Button disputam posição

O tricampeão da F-1 Niki Lauda não gosta nada do sistema de asa traseira móvel, adotado no início de 2011 e que deve até ser ampliado em determinados circuitos na próxima temporada. De acordo com o austríaco, o artifício é um passo na direção errada para a categoria.

“Ver uma ultrapassagem após apertar um botão é fundamentalmente algo na direção errada. O piloto da frente fica totalmente sem defesa. Acho que do ponto de vista esportivo não é certo”, afirmou ao jornal Salzburger Nachrichten.

Além disso, para Lauda, hoje comentarista da TV alemã, a própria adoção dos pneus Pirelli, projetados para se degradar rapidamente, ajudou tanto a melhorar o número de ultrapassagens na F-1 que o sistema de DRS acabou se tornando desnecessário.

“Já há ultrapassagens o suficiente por causa dos pneus, que várias vezes têm de ser levados ao limite pelos pilotos. E eles também fazem com que os engenheiros tenham de fazer carros que desgastem menos os pneus”, defendeu.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias