Para Lowe, importância dos testes é confirmar dados de simulação

Diretor técnico da McLaren explica que a falta de rodagem durante a temporada fez as equipes mudarem suas técnicas de desenvolvimento

Para McLaren, testes de Mugello serão muito úteis

Até alguns anos atrás, quando os testes no meio da temporada eram liberados, a simulação ocupava uma posição menor em relação ao trabalho de pista. Agora, mesmo tendo a primeira chance de realizar três dias de testes em Mugello, na Itália, com o campeonato já tendo sido iniciado, em práticas que se iniciam amanhã, são os simuladores que ditam as regras, de acordo com o diretor técnico da McLaren Paddy Lowe.

“Esse teste é muito, muito útil. A simulação cresceu muito nos últimos anos e dependemos muito mais dela. De fato, isso leva o teste para uma direção um pouco diferente. Estamos usando ferramentas para validar nossas simulações.”

As equipes continuam desenvolvendo constantemente seus carros, mas a diferença é que têm menos tempo para trabalhar na pista e, com isso, mudaram o foco dos trabalhos, como explica o engenheiro.

“O que acabou acontecendo é que os testes que antes eram feitos entre as corridas agora são realizados nas sextas-feiras. E por isso precisamos de mais eficiência. Mugello vai permitir que façamos outras coisas. É uma redistribuição de onde colocamos nosso foco.”

Lowe lembra que o teste de Mugello não representa mais tempo de pista em relação aos anos anteriores, uma vez que a pré-temporada deste ano teve três dias a menos em relação a 2011. Mas, ao menos, permite um salto maior na metade da temporada.

“Costumávamos fazer esse teste na pré-temporada e agora ele é em maio. Isso permite que façamos outras coisas no meio do ano que não poderíamos fazer. Na verdade, é muito mais trabalho porque não estamos acostumados, mas talvez nos ajude a dar um passo adiante no meio do ano.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias