Para Massa, piloto pagante não é sinônimo de piloto ruim

Brasileiro da Ferrari cita Perez e Maldonado como exemplos de colegas que unem dinheiro e talento

Maldonado e Perez estrearam em 2011

Muitos vêem com preocupação o fato de várias das vagas na F-1 estarem sendo negociadas com base no tamanho do aporte financeiro que o piloto pode trazer para as equipes. No entanto, para Felipe Massa, é preciso separar o joio do trigo: ter pilotos pagantes nem sempre é ruim.

“Acho que tem o piloto pagante mesmo, que é aquele que paga e está perdendo dinheiro, e tem o piloto pagante que tem um talento para estar na F-1”, diferenciou em entrevista à rádio Jovem Pan.

O brasileiro cita como bons exemplos Sergio Perez, que conta com o apoio da mexicana gigante das comunicações Telmex, e Pastor Maldonado, cujo dinheiro da petrolífera venezuelana PDVSA o garante na Williams.

“[Nesses casos], foi o dinheiro que ajudou, porque ele vem de um país que precisa disso – o que é difícil de encontrar hoje em dia. Isso acontece com o Perez e o Maldonado, que levaram patrocínios de suas equipes que são os principais. “

Mesmo com o rótulo de pagantes, Massa afirma que pilotos como a dupla podem ter um grande futuro na categoria.

“Acredito que eles têm todo o potencial para se tornarem pilotos 100% profissionais na F-1.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Felipe Massa
Tipo de artigo Últimas notícias