Para Massa, pneus e grid apertado explicam diferença entre companheiros

Brasileiro não acredita que gangorra de performances deve acabar tão cedo: "em cada pista o pneu reage de maneira diferente"

Massa vem tendo dificuldades para acompanhar Alonso

O campeonato de 2012 da F-1 tem mostrado não apenas uma gangorra de performances entre as equipes, como também entre companheiros de equipe. Mesmo no último GP, na Espanha, circuito no qual geralmente os carros do mesmo time largam em pares, vimos grandes diferenças em equipes como Ferrari, McLaren e Williams.

Perguntado pelo TotalRace sobre o motivo desta disparidade incomum, Felipe Massa afirmou que são vários fatores que influem nesses resultados tão diferentes.

“Isso ocorre devido a várias coisas. Um acerto diferente, de usar o pneu e entendê-lo, ao jeito de pilotar e também ao fato de termos um campeonato competitivo. Como a gente tem uma diferença menor entre os carros, qualquer coisa que fizer que não estiver perfeita representa uma perda de quatro ou cinco posições de maneira bem mais fácil do que no passado.”

O brasileiro não espera que esse vai-e-vem de performances acabe cedo: ainda que as equipes compreendam os pneus, a tendência é que seu comportamento mude a cada pista.

“O duro é que não é apenas o jeito de entender os pneus, mas também de chegar em cada pista e o pneu reagir de maneira diferente, como aconteceu em várias corridas neste ano. O importante é ter um carro bom em qualquer tipo de condição.”

A receita, para o piloto da Ferrari, é ter um carro o mais consistente possível. “Os resultados que vimos nas primeiras provas foram, sem dúvida, devido ao desgaste do pneu. Em algumas provas, ele se desgastou muito, como no Bahrein e na Espanha, e acho que o importante é a gente trabalhar para ter o carro mais consistente para lidar bem com cada situação.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Felipe Massa
Tipo de artigo Últimas notícias